Galp fecha negócio de 326 milhões com espanhola ACS. Torna-se líder no solar na península ibérica

As duas empresas criaram uma joint venture, da qual a Galp detém 75%. A transação tem um valor total de cerca de 2,2 mil milhões de euros até 2024, altura em que o portfólio solar chegará aos 2,9 GW.

A Galp e o grupo espanhol ACS concluíram a transação que resultou na constituição de uma joint venture com vista ao desenvolvimento de uma carteira de projetos de energia solar fotovoltaica em Espanha, com uma capacidade de geração de eletricidade de 2,9 GW, anunciou a petrolífera em comunicado, depois de comunicar o negócio à CMVM após fecho do mercado.

Este portefólio engloba projetos em território espanhol que incluem 914 MW de ativos recentemente comissionados e um conjunto de projetos em diferentes estágios de desenvolvimento. A Galp adquiriu assim 75,01% da joint venture, mantendo a ACS uma participação de 24,99%, tendo-se estabelecido uma estrutura governamental de controlo partilhado.

A Galp informou ter pago um montante total de 326 milhões de euros ao Grupo ACS pela aquisição da sua participação e dos custos de desenvolvimento associados ao portefólio. Atualmente, a joint venture detém 434 milhões de dívida relacionada com os ativos já em operação, “sendo intenção dos parceiros financiar os restantes desenvolvimentos em project finance”. Revela a petrolífera no mesmo comunicado que a transação tem um valor total (enterprise value) de cerca de 2,2 mil milhões de euros até 2024, relacionado com a aquisição, desenvolvimento e construção de 100% do portefólio.

“A conclusão desta transação representa um passo importante para a materialização das nossas ambições nas energias renováveis. Estabelece a Galp como o principal operador solar na península ibérica através da incorporação de um portefólio de geração de elevada qualidade e será parte do nosso caminho para a transição energética”, disse Carlos Gomes da Silva, CEO da Galp, citado no comunicado.

A participação da Galp nesta joint venture será refletida nas suas demonstrações financeiras através do método de equivalência patrimonial. De acordo com o comunicado da Galp, a transação recebeu já todas as aprovações necessárias por parte dos parceiros e autoridades relevantes.

“A Galp e a ACS estão comprometidas em continuar a identificação das soluções mais eficientes de forma a maximizar a capacidade de geração dos projetos, explorando o potencial da sua localização privilegiada. O desenvolvimento e construção do portefólio será executado pela Cobra, uma afiliada do Grupo ACS, com comprovada experiência no desenvolvimento de geração fotovoltaica.

A 22 de janeiro de 2020 a Galp anunciou o acordo estabelecido com o Grupo ACS para a compra da empresa de energia solar Zero-E por 450 milhões de euros, assumindo 430 milhões em dívida. Mais recentemente, este acordo foi alterado de modo a estabelecer, entre outros aspetos, a constituição de uma joint venture entre as duas partes, como anunciado em julho.

O Citigroup Global Markets e o King & Wood Mallesons atuaram respetivamente como consultores financeiros e jurídicos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Galp fecha negócio de 326 milhões com espanhola ACS. Torna-se líder no solar na península ibérica

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião