“Não pedi para sair e fiquei surpreendida”, diz Jamila Madeira após exoneração do Governo

  • ECO
  • 17 Setembro 2020

A substituição de Jamila Madeira como secretária de Estado Adjunta e da Saúda apanhou a própria de surpresa, que diz ter ficado "muito surpreendida" com a decisão da ministra Marta Temido.

Jamila Madeira foi exonerada na onda de remodelações de secretários de Estado que António Costa levou a cabo esta quarta-feira. Mas embora alguns dos governantes tivessem pedido para sair, a secretária de Estado Adjunta da Saúde, que está de saída do Governo, diz ter sido apanhada de surpresa pela decisão da ministra da Saúde de a substituir por António Sales.

“Não pedi para sair e, naturalmente, fiquei muito surpreendida com a opção da sra. ministra da Saúde”, afirmou Jamila Madeira, numa mensagem escrita enviada ao Expresso, TSF e Renascença, acrescentando que sai “de consciência tranquila de missão cumprida”, com a certeza de que fez tudo o que estava ao seu alcance, naquele que está a ser “um ano particularmente inédito”.

Na mesma mensagem, Jamila Madeira disse ainda fazer votos de que, “para o XXII Governo, liderado por António Costa”, com quem diz ter “muito orgulho em trabalhar”, “e para o país, tudo continue a correr pelo melhor”.

Esta mudança aconteceu da manhã para a tarde, dado que a ex-líder da Juventude Socialista estava escalada para participar na conferência de imprensa desta quarta-feira para atualização da situação epidemiológica, que acabou adiada, e acabou por não incluir o seu nome.

Já depois das declarações de Jamila Madeira, confrontada no final da cerimónia de tomada de posse, a secretária de Estado exonerada não quis comentar, mas indicou que regressa à Assembleia da República na qualidade de deputada.

(Notícia atualizada pela última vez às 18h10)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Não pedi para sair e fiquei surpreendida”, diz Jamila Madeira após exoneração do Governo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião