Número de desempregados inscritos no IEFP atinge máximos de janeiro de 2018. São 409 mil

O número de desempregados inscritos no IEFP está em máximos. A pandemia continua a fazer tremer o mercado laboral português.

Depois de ter diminuído em junho, o número de desempregados inscritos nos serviços do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) cresceu em julho e voltou a subir em agosto, mês em que se verificou um aumento de 0,5%, na variação em cadeia, e de 34,5%, em termos homólogos. Já há 409.331 desempregados em Portugal, número mais alto desde o início de 2018.

De acordo com os dados divulgados pelo IEFP, no final de agosto, estavam registados nos centros de emprego 409.331 indivíduos desempregados, mais 0,5% (ou 2.029 indivíduos) do que em julho deste ano e mais 34,5% (ou 105.011 indivíduos) do que em agosto de 2019.

A chegada da pandemia de coronavírus a Portugal, em março, foi sinónimo de uma subida do número de desempregados inscritos no IEFP, tendência que foi interrompida em junho, mas foi retomada em julho. Agosto foi, por isso, o segundo mês consecutivo de agravamento, tendo sido registado o número de desempregados mais alto desde janeiro de 2018, segundo a série longa disponibilizada pelo Ministério do Trabalho e da Segurança Social.

Pandemia faz tremer mercado laboral português

Fonte:IEFP

A Região Autónoma dos Açores continua a ser a exceção num país marcado pelo crescimento do número de desempregados. Em termos homólogos, o arquipélago açoriano registou um recuo de 1,3%.

Em contraste, a região do Algarve destacou-se com uma subida de 177,8% do número de desempregados inscritos no IEFP, face a agosto de 2019. Em comparação com julho, o Algarve verificou, no entanto, um recuo de 10,6%, num mês marcado pela retoma económica (embora ligeira) trazida pelo período de férias e pelo consequente aumentar do turismo.

Foi na Região Autónoma da Madeira e no Norte que se registaram as subidas em cadeia mais acentuadas: 3,1% para 18.900 desempregados e 2,2% para 158.013 desempregados, respetivamente. O Norte é, de resto, a região do país com mais indivíduos desempregados inscritos atualmente no IEFP, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo com 134.944.

O universo de desempregados aumentou, além disso, nos três setores da atividade económica, face ao período homólogo, embora o dos serviços tenha registado um agravamento mais significativo. E dentro desse setor, foi no alojamento, restauração e similares que se registou uma subida mais considerável. Em causa está um salto de 88,4% dos desempregados face a agosto de 2019.

O IEFP indica ainda que, em agosto, havia 13.577 ofertas de emprego por satisfazer, menos 28,4% do que no mesmo mês de 2019, mas mais 6,9% do que em julho. O Ministério do Trabalho destaca ainda que se verificaram “6.688 colocações em emprego, um acréscimo de 2% face ao mês homólogo”.

(Notícia atualizada às 11h16)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Número de desempregados inscritos no IEFP atinge máximos de janeiro de 2018. São 409 mil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião