“Estreia” de Cristina Ferreira na TVI vista por 660 mil pessoas

A Media Capital já está a colher frutos da contratação de Cristina Ferreira à SIC. A estação registou um share de 34,1% esta segunda-feira com um "Você na TV" diferente do habitual.

O regresso de Cristina Ferreira à antena da TVI já está a dar frutos para a estação de Queluz de Baixo. Esta segunda-feira, a apresentadora marcou presença no seu antigo programa das manhãs, o Você na TV, ao lado de Manuel Luís Goucha, levando o canal a disparar em audiências, para um share de 34,1% no decorrer do programa, contra 18,4% registados pela SIC na mesma altura, segundo dados cedidos ao ECO pela Media Capital.

Fonte oficial da empresa destacou que a diferença entre os dois canais generalistas rivais foi de 15,7 pontos percentuais. A audiência do programa alcançou as cerca de 660 mil pessoas, contra as 357 mil que viram o canal de Paço d’Arcos. Para comparação, a estreia de Cristina Ferreira na antena da SIC em janeiro de 2019 levou o canal da Impresa a registar um share de 40,1% com o “Programa da Cristina” e uma audiência média de cerca de 653,2 mil indivíduos.

Estes resultados surgem depois de Cristina Ferreira ter decidido voltar à Media Capital, um ano depois de ter sido contratada ao grupo pela concorrente Impresa. A apresentadora esteve na base da conquista da SIC do título de líder de audiências no ano completo de 2019. Surpreendidos com nova transferência ao fim de um ano, os telespectadores portugueses sintonizaram a TVI para ver a apresentadora novamente lado a lado com o seu antigo parceiro do pequeno ecrã nas manhãs.

Cristina Ferreira vai ter o seu próprio programa na TVI, chamado “Dia de Cristina”. A Impresa reclama à apresentadora uma indemnização de 20 milhões de euros pela quebra do contrato, algo que a apresentadora rejeita. Além de rosto da televisão, Cristina Ferreira é também diretora de ficção e entretenimento, e também acionista: vai comprar 2,5% da Media Capital aos espanhóis da Prisa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Estreia” de Cristina Ferreira na TVI vista por 660 mil pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião