Governo britânico vai recomendar teletrabalho e reduzir horários de bares

O governo britânico vai aconselhar a que os cidadãos passem a trabalhar a partir de casa e deverá também impor restrições aos horários dos bares, "pubs" e restaurantes.

O primeiro-ministro do Reino Unido prepara-se para anunciar novas restrições na sequência do aumento das infeções por Covid-19 no país. Incentivos ao teletrabalho e novos horários para bares e restaurantes são algumas das novidades que deverão ser anunciadas esta terça-feira.

Sabemos que não será fácil, mas devemos tomar outras medidas para controlar o ressurgimento dos casos de Covid-19 e proteger o NHS [o equivalente britânico ao Serviço Nacional de Saúde]”, dirá Boris Johnson, de acordo com trechos do discurso distribuído em Downing Street e consultados pela Reuters.

Segundo a Reuters, o governo britânico vai aconselhar a que os ingleses passem a trabalhar a partir de casa, bem como impor restrições de horário aos bares, “pubs” e restaurantes, que passarão a fechar às 22h00.

Estas medidas deverão entrar em vigor na quinta-feira e já foram confirmadas pelo ministro Michael Gove. “Uma das coisas que vamos enfatizar é que se é possível que as pessoas trabalhem a partir de casa, vamos incentivá-las a fazê-lo”, afirmou Gove em declarações à Sky News.

O Reino Unido é o país mais afetado da Europa, com o número mais elevado de mortes registadas até ao momento. Os dados mais recentes dão conta de 11 mortes e 4.368 novos casos de infeção nas últimas 24 horas. Face a esta situação, o Governo elevou esta segunda-feira o nível de alerta para 4 e convocou uma reunião do conselho de emergência, de forma a delinear as medidas para situações de emergência nacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo britânico vai recomendar teletrabalho e reduzir horários de bares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião