RRP Advogados promove três novos partners

Rodrigo Falcão Nogueira, Manuel Cordeiro Ferreira e Carlos Vaz de Almeida são as mais recentes promoções da RRP Advogados. Os advogados assumem o cargo de partners.

A RRP Advogados promoveu recentemente três novos partners. Os advogados em questão são Rodrigo Falcão Nogueira, Manuel Cordeiro Ferreira e Carlos Vaz de Almeida.

Rodrigo Falcão Nogueira centra a sua prática nas áreas de corporate e M&A, departamento do qual é responsável na firma desde 2016. O advogado tem ainda desenvolvido grande parte do seu trabalho em transações de fusões e aquisições, investimentos de capital de risco, restruturações societárias e na assessoria em matérias de corporate governance e corporate finance.

Manuel Cordeiro Ferreira é o responsável pelo departamento de mercado de capitais e serviços financeiros desde que entrou para o escritório, em 2017. O advogado integra também as equipas de corporate e M&A, bancário e financeiro e imobiliário. A sua atividade profissional foca-se essencialmente em direito comercial. Tem desenvolvido o seu trabalho em operações de fusões e aquisições, em assuntos de governo societário e corporate finance, mas também em ofertas de distribuição e aquisição de valores mobiliários, e na constituição e distribuição de organismos de investimento coletivo, mobiliários e imobiliários.

Por fim, Carlos Vaz de Almeida é o responsável pelas equipas de público e projetos de infraestruturas e de bancário e financeiro da RRP Advogados. A sua atividade profissional cenyra-se na assessoria a clientes na área do direito público, em particular nos domínios da contratação pública, energia e recursos naturais, transportes e saúde. O seu currículo conta também com o assessoramento regularmente quer entidades públicas quer privadas, sobretudo em operações transnacionais.

“As promoções em causa atestam o rápido crescimento da sociedade desde a sua criação há quatro anos, alicerçado em pessoas de reconhecido mérito, que se destacam pelas suas qualidades profissionais e humanas”, nota Ricardo Reigada Pereira, managing partner.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

RRP Advogados promove três novos partners

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião