“Pessoas Awards” vão premiar talento e gestão de pessoas

  • Pessoas
  • 29 Outubro 2020

Revista Pessoas entrega, no início do próximo ano, os primeiros "Pessoas Awards" que vão premiar pessoas pelo talento, disrupção e práticas inovadoras na gestão.

Pessoas Awards premeia talento na gestão de pessoas.Revista Pessoas

A revista Pessoas atribui, no início do próximo ano, os prémios relativos à primeira edição dos Pessoas Awards (PA), uma iniciativa da publicação relançada pelo ECO em março de 2019. Os prémios destinam-se a promover, divulgar e amplificar as melhores práticas e contributos para o desenvolvimento das áreas de gestão de pessoas, desenvolvimento de competências e organização de recursos humanos e de boas práticas de liderança em Portugal.

Com uma periodicidade anual, os primeiros vencedores dos Pessoas Awards serão conhecidos no início de 2021.

“Se as pessoas estão no centro e são referidas como a razão do sucesso das empresas, nada mais pertinente do que premiá-las pelas boas práticas, inspiração, liderança, carisma. Reconhecer as boas pessoas é uma forma de validar as suas competências e premiar a sua sensibilidade e as suas pessoas. Estes desafios ganham ainda mais importância num ano como o de 2020“, justifica Mariana de Araújo Barbosa, diretora executiva da revista Pessoas.

Na sua primeira edição, relativa a 2020, os PA integram distinções em 10 categorias: “lifetime achievement” (percurso, envolvimento e exemplo de liderança e empatia. É o prémio que distingue o líder de pessoas pela sua carreira), “recrutador” (inovação de processos e empenho na contratação e retenção de talento), “formação e competências” (foco e investimento em formação e competências dos colaboradores, assim como na orientação do seu plano de carreira com a ajuda de coachs e mentores), “out of the box” (disrupção de processos e metodologias ao serviço da gestão de pessoas), “diversidade e inclusão” (políticas e práticas de inclusão e diversidade de sexos, raças, nacionalidades e religiões), “felicidade” (importância de políticas como o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, o direito a desligar e outras práticas relacionadas com o bem-estar dos trabalhadores), “liderança” (boas práticas de liderança, premeia o envolvimento do líder dentro da organização e o reconhecimento dessas características agregadoras pelos seus pares), “influencer” (líder agregador, que inspira e que toca todos com as suas práticas. É a única categoria cujo prémio é atribuído através de votação do público), “sofisticação laboral” (pela implementação e/ou manutenção de práticas amigas do bem-estar e códigos de conduta, que colocam o trabalhador no centro da ação) e “master em comunicação” (quando a política de comunicação é valorizada de dentro para fora, e tanto interna como externamente).

Os Pessoas Awards contam, nesta primeira edição, com o apoio da Nova Advogados e do Grupo Bernardo da Costa.

Em março do ano passado, a antiga revista Pessoal, da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas (APG), evoluiu para um novo projeto editorial com a designação Pessoas. “A nova revista, com um novo grafismo, consubstancia uma abordagem editorial rejuvenescida, mais moderna e orientada para novos públicos”, explicava, na altura, equipa editorial sobre o projeto.

O ECO assumiu a gestão editorial e comercial da revista Pessoal e do site RHOnline.pt, agora PessoasOnline.pt, no início do ano. A Pessoas é subscrita de forma qualificada e segmentada por mais de 1.500 profissionais da área de recursos humanos e é propriedade da APG. “Para o ECO, este movimento significa um óbvio enriquecimento de conteúdos numa área de atividade – a gestão das pessoas – com inquestionável relação com o mundo da economia e das empresas, territórios naturais do ECO”, sublinha António Costa, publisher do ECO.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Pessoas Awards” vão premiar talento e gestão de pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião