Apoios à restauração estendem-se aos próximos dois fins de semana

  • ECO
  • 25 Novembro 2020

Apoio aos restaurantes "será alargado também, em particular, aos dois próximos fins de semana prolongados", diz o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor.

O Governo lançou apoios para a restauração de forma a compensá-los por terem estado encerrados desde as 13h nos últimos dois fins de semana. E serão alargados aos próximos dois, tendo em conta a manutenção das restrições.

Em declarações à Rádio Renascença (acesso livre), o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres, diz que este “apoio é um mecanismo de compensação pelas perdas de faturação verificadas nos dois últimos fins de semana e será alargado também, em particular, aos dois próximos fins de semana prolongados”, tal como António Costa anunciou no sábado quando revelou as medidas económicas para compensar os efeitos da pandemia,

Com estes apoios, os “restaurantes poderão compensar 20% da sua quebra de faturação face à média dos primeiros fins de semana do ano de 2020”, no âmbito do programa Apoiar Restauração.

Abriram esta quarta-feira, 25 de novembro, as inscrições para o Apoiar Restauração, bem como para o Apoiar.pt, que foi anunciado pelo ministro da Economia no início de novembro, no âmbito do conjunto de medidas para ajudar as empresas a superar os efeitos da pandemia. Ao todo, mais de 15 mil empresas já fizeram o pré-registo.

O Apoiar Restauração destina-se a compensar as perdas por a restauração ter sido obrigada a fechar portas, sem possibilidade de oferecer serviços de take away, com um valor que ascende a 25 milhões de euros. Este é cumulativo com o Apoiar.pt que tem 750 milhões de euros em subsídios para as empresas dos setores mais afetados pela pandemia e que podem ser usados como alívio de tesouraria ou até mesmo para pagar salários.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Apoios à restauração estendem-se aos próximos dois fins de semana

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião