Cursos com desemprego zero. Nova revista Pessoas já nas bancas

  • Pessoas
  • 27 Novembro 2020

Licenciaturas e mestrados nas áreas tecnológicas e da saúde são os que garantem mais emprego e as escolas públicas são as que mais cursos "desemprego zero" contabilizam.

A 11.ª edição da revista Pessoas já está nas bancas. Os cursos de desemprego zero têm destaque na última edição do ano da publicação: as licenciaturas e mestrados nas áreas tecnológicas e da saúde são os que garantem mais emprego e, por enquanto, são as escolas públicas que têm mais cursos com desemprego zero. No entanto, conta a jornalista Sara Calado, há cada vez menos assimetrias entre o ensino politécnico e o ensino universitário.

Mas há muito mais para ler. Mariana de Araújo Barbosa foi a Braga para contar aos leitores da Pessoas o que viu na sede do dst group, empresa líder nacional de engenharia e construção. Tudo depois de ter escrito que a empresa liderada por José Teixeira estava a dar formação de Filosofia a 350 dos cerca de 2.000 que lá trabalham. “Uma empresa culta é muito mais competitiva”, assegura o engenheiro e gestor em entrevista, depois de ter participado ativamente na elaboração do programa do curso, pensado em parceria com a Católica de Braga. José Teixeira acredita que o contacto com estas formas de arte e cultura provoca e mexe com os seus trabalhadores. E isso contagia clientes e ajuda, crê, o dstgroup a faturar anualmente 450 milhões de euros. Imagine-se, agora, se a cultura ganhasse escala.

A entrevista a Guilherme Machado Dray, que coordena a equipa responsável pelo Livro Verde para o futuro do trabalho, que deverá ser conhecido até ao final do ano, é outro dos destaques desta edição.

O Especial desta edição trata o recrutamento “por tu” e antecipa tendências de um mercado que mudou radicalmente em ano de pandemia. Nesta edição também se conta um pouco mais sobre o Pessoas Awards. A Pessoas já está nas bancas, disponível no seu quiosque habitual. Pode também assinar a publicação aqui.

Capa da edição n.º11 da revista Pessoas, de novembro/dezembro de 2020.D.R.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Cursos com desemprego zero. Nova revista Pessoas já nas bancas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião