Novo Banco decide venda do banco espanhol ao Abanca ou Haitong esta semana

Novo Banco prepara venda da filial espanhola aos galegos do Abanca ou aos chineses do Haitong. Negócio pode ficar fechado ainda esta semana.

Está por dias a venda do Novo Banco em Espanha. O banco recebeu duas ofertas vinculativas na segunda-feira por parte dos galegos do Abanca e do grupo chinês Haitong. Agora, espera-se que a decisão seja iminente, podendo surgir no final desta semana ou no início da próxima, avança o jornal espanhol El Confidencial (acesso pago).

De acordo com o mesmo jornal, os chineses terão mesmo avançado com a melhor proposta, mas poderão ter dificuldades em obter as autorizações regulatórias para concretizar o negócio, algo que não aconteceria com o Abanca.

De resto, os dois bancos também estiveram interessados no EuroBic, como já revelou o ECO. O banco galego chegou a estar perto de concluir a aquisição do banco, mas o negócio caiu por terra à última hora devido a divergências no preço. Já o Haitong Bank, o ex-BES Investimento, também mostrou interesse mas o acionista vetou a operação através da qual o banco pretendia alargar a atividade à banca comercial.

O Novo Banco Espanha contava com 1,6 mil milhões de euros em créditos e 1,9 mil milhões em depósitos, trabalhando com 24,7 mil clientes através de uma rede com dez balcões e 180 empregados, segundo a informação que a instituição financeira disponibilizou aos investidores.

O processo de venda decorre desde o verão passado, sendo liderado pelo banco alemão Deutsche Bank. O Novo Banco pretendia obter inicialmente 200 milhões de euros com a operação, mas as ofertas iniciais terão ficado abaixo dos 100 milhões.

O Novo Banco em Espanha registou prejuízos de 450 milhões de euros desde 2014. Nos últimos anos, à boleia da reestruturação, o banco liderado por António Ramalho vendeu operações internacionais que tinha na Ásia, Venezuela, França e prepara agora a saída do mercado espanhol. No final do ano passado, a instituição vendeu a gestora de ativos Novo Ativos Financieros Espanha à Trea por 12,9 milhões.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Novo Banco decide venda do banco espanhol ao Abanca ou Haitong esta semana

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião