ESA vai à Lua. E está a recrutar… astronautas

Agência Espacial Europeia está à procura de astronautas e quer investir na diversidade: com o Projeto de Viabilidade quer contratar parastronauta, o primeiro astronauta com algum nível de deficiência.

A Agência Espacial Europeia está à procura da nova geração de astronautas europeus para a sua próxima viagem à lua. A ESA lança, já a 16 de fevereiro, uma nova campanha de recrutamento de astronautas e quer, a partir do Projeto de Viabilidade — agora lançado — recrutar o primeiro parastronauta, o primeiro astronauta com algum nível de deficiência.

O processo de recrutamento propriamente dito arranca a 31 de março, decorre até 28 de maio e está aberto a todos os Estados-membros, pelo que os escolhidos podem, também, ser portugueses. A seleção “prevê o rejuvenescimento da base de astronautas da organização”, refere a ESA em comunicado.

“Graças a um forte mandato dos Estados Membros da ESA no último Conselho Ministerial em 2019, a Europa está a ocupar o seu lugar no centro da exploração espacial. Para ir onde nunca antes fomos, precisamos olhar mais longe do que antes. Este processo de recrutamento é o primeiro passo e estou ansioso para ver a Agência desenvolver-se em todas as áreas de exploração e inovação espacial, com os nossos parceiros internacionais, nos próximos anos”, afirmou o diretor geral da ESA, Jan Wörner, citado em comunicado da Agência, que quer contratar anualmente 100 pessoas, durante os próximos dez anos.

Este processo de recrutamento é o primeiro passo e estou ansioso para ver a Agência desenvolver-se em todas as áreas de exploração e inovação espacial, com os nossos parceiros internacionais, nos próximos anos.

Jan Wörner

Diretor-geral da ESA

A campanha vai incluir seis conferências de imprensa virtuais nas quais a ESA junta astronautas, especialistas em exploração humana e robótica, medicina espacial, responsáveis pelo centro de treinos de astronautas e gestores de recursos humanos. “As conferências de imprensa, que darão a conhecer os detalhes do processo de seleção de novos astronautas, decorrem em cinco idiomas (inglês, francês, alemão, holandês, italiano e espanhol) e acontecem entre as 12h00 e as 15h30”, assinala a ESA em comunicado.

O fim do processo de recrutamento, que decorre em seis fases, está previsto para outubro e tem como objetivo atrair também mais mulheres. Em 2009, num total de 8.413 candidaturas apenas 1.430 foram de candidatas do sexo feminino. “A diversidade na ESA não deve apenas abordar a origem, idade, experiência ou sexo dos nossos astronautas, mas talvez também deficiências físicas”, assinala David Parker, diretor de Exploração Humana e Robótica.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

ESA vai à Lua. E está a recrutar… astronautas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião