81% das doses de vacinas contra a Covid administradas em Portugal são da Pfizer

Portugal já administrou mais de 1,01 milhões de doses de vacinas em Portugal. Oito em cada dez vacinas administradas (81,12%) foram da Pfizer, segundo os dados cedidos pela task-force ao ECO.

Desde o arranque da vacinação e até à passada sexta-feira, já foram administradas mais de 1,01 milhões de doses de vacinas em Portugal. Deste total, 823.239 doses inoculadas foram da Pfizer/BioNTech, o que significa que oito em cada dez doses administradas em território nacional são produzidas por esta farmacêutica, segundo os dados cedidos ao ECO pela task-force, responsável por delinear o plano de vacinação contra a Covid-19.

A campanha de vacinação contra a Covid-19 em Portugal arrancou a 27 de dezembro do ano passado, à semelhança do que aconteceu na maioria dos Estados-membros da União Europeia (UE). Desde então e até 5 de março, já foram recebidas cerca de 1,19 milhões de vacinas em território nacional, das quais 843.189 da Pfizer, 84 mil da Moderna e 259.200 da AstraZeneca.

Das 1.186.386 recebidas em Portugal, 1.014.856 doses já foram administradas, incluídas primeiras e segundas doses, de acordo com os dados fornecidos pela task-force. Isto significa que 85,54% das vacinas recebidas já foram administradas. Neste momento, existem três tipos diferentes de vacinas aprovadas em Portugal, sendo que importa salientar que embora todas necessitem de duas doses para cumprir a vacinação completa, têm prazos de inoculação distintos.

A vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer e da alemã BioNTech contra o coronavírus foi a primeira a ser aprovada em todo o bloco comunitário pelo regulador europeu, a 21 de dezembro de 2020. Desde o arranque da vacinação já foram administradas 823.239 doses desta vacina em Portugal, das quais 536.745 primeiras doses e 286.494 segundas tomas. Contas feitas, 81,12% das doses de vacinas contra a Covid-19 administradas em Portugal até sexta-feira são da Pfizer.

Apesar dos atrasos de produção comunicados no início de janeiro, o facto de esta vacina ter sido a primeira a estar disponível em todo o bloco comunitário — e consequentemente, em Portugal –, ter um prazo de toma da segunda dose relativamente curto (28 dias, tal como a Moderna) bem como ser um dos maiores contratos assinados pelo bloco comunitário poderá ajudar a explicar a elevada taxa de inoculação.

Recomendação sobre vacina da AstraZeneca para maiores de 65 anos está sob análise

A segunda vacina mais administrada em Portugal até ao momento é a da AstraZeneca, com 141.943 primeiras doses administradas até à passada sexta-feira e nenhuma segunda dose (já que o prazo recomendado em Portugal para a segunda toma é até 12 semanas). Tendo em conta o total de doses administradas, isto significa que cerca de 13,99% das doses dadas em Portugal são produzidas por esta farmacêutica anglo-sueca. Esta foi a mais recente vacina a ser aprovada pela EMA, a 29 de janeiro, e representa também um dos maiores contratos estabelecidos pelo bloco comunitário.

Contudo, atualmente esta vacina apresenta uma limitação face às da Pfizer e da Moderna, uma vez que a DGS recomenda que esta vacina deve ser dada, preferencialmente, a pessoas até aos 65 anos, embora sublinhe que em nenhum caso a vacinação de maiores de 65 anos deve ser atrasada. Esta recomendação assemelha-se a outras tomadas pela Europa, no entanto, há alguns países europeus, como a Alemanha e a Dinamarca, que reverteram essa posição. Ao ECO, a task-force afirma que “esta questão está sob análise”, abrindo a porta a uma revisão. “Foi decidido priorizar a vacinação de pessoas abaixo dos 65, por, na altura da sua aprovação, não haver dados suficientes relativamente a resultados para esta camada da população. Entretanto, foram-nos chegando outros dados de estudos realizados e que confirmam a segurança e a eficácia da vacina em população acima dos 65 anos. Neste momento, tudo isto está a ser debatido“, explica a entidade.

Ao mesmo tempo, em Portugal já foram administradas 49.674 doses da Moderna, das quais mais de 43 mil primeiras doses e mais de 6 mil segundas doses. Isto significa, apenas 4,98% dadas em Portugal foram produzidas por esta farmacêutica. Esta vacina foi a segunda a receber “luz verde” do regulador do medicamento europeu e apesar de ter uma tecnologia semelhante à da Pfizer — ambas usam tecnologia ARN mensageiro — o armazenamento desta vacina é mais fácil, podendo ser armazenada durante 30 dias à temperatura de um frigorífico doméstico, entre dois a oito graus.

No arranque da vacinação em Portugal começaram a ser vacinados os profissionais de saúde que estão na linha da frente no combate à pandemia, sendo que se seguiram os profissionais e residentes em lares. Neste momento, esta fase prioritária contempla já profissionais de serviços essenciais –, como Forças Armadas, de segurança e bombeiros –, bem como idosos com 80 ou mais anos, pessoas entre os 50 e os 79 anos com patologias graves (insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal e doença respiratória crónica) e alguns titulares de órgãos de soberania.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

81% das doses de vacinas contra a Covid administradas em Portugal são da Pfizer

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião