Está lançada a primeira candidatura às eleições no Montepio

Grupo de associados incluindo Miguel Coelho, Ribeiro Mendes e Eugénio Rosa já pré-anunciou a candidatura às eleições do Montepio depois de mais um ano de prejuízos na mutualista.

Tal como o ECO avançou, um grupo de associados da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG) que concorreram em listas separadas nas últimas eleições vai avançar com uma candidatura única às eleições de dezembro. A oficialização está por dias. Entre os membros está Miguel Coelho, antigo administrador da mutualista e que deverá encabeçar a candidatura, embora a lista ainda esteja em composição. Este grupo já tem marcada uma conferência para a próxima semana para discutir a situação do grupo e na qual poderá tornar a candidatura oficial.

Para já, há um pré-anúncio da candidatura do denominado grupo “Pelo futuro do Montepio”, o que acontece dois dias depois de a AMMG ter apresentado os resultados do ano passado, com prejuízos de 17,9 milhões de euros e mais reservas da parte dos auditores. Este é mesmo o pretexto para estes associados anunciarem a lista.

“O contínuo agravamento da crise financeira e de governo da AMMG torna cada vez mais difícil conceber e implantar soluções suscetíveis de a reparar sem que decorram graves e penosas consequências para a sua independência e para a situação dos seus associados e trabalhadores”, refere este grupo.

Acusando a atual administração de Virgílio Lima de “refugiar-se na negação irracional da crise” da mutualista e que não tem condições para enfrentar os “enormes riscos” que a instituição se confronta, estes associados dão assim o passo em frente na candidatura com vários objetivos, entre os quais, dotar o Montepio de “órgãos de gestão compostos por pessoas competentes e capazes” e desenvolver um “plano de saneamento da situação financeira”.

Este grupo de associados, que já agendou para o dia 12 uma conferência subordinada ao tema “Mutualismo: que futuro?”, tem vários nomes que fizeram parte ou apoiaram as listas da oposição a Tomás Correia nas últimas eleições. Além de Miguel Coelho, integram este grupo Fernando Ribeiro Mendes, Carlos Areal, Eugénio Rosa, Rui Leão Martinho ou Pedro Corte Real.

Não estão todos os nomes, notando-se as ausências deste grupo, por exemplo, de António Godinho e de João Costa Pinto, sendo que o primeiro encabeçou uma das listas concorrentes em 2018.

Resta saber quantas listas irão a concurso. Há três candidaturas em perspetiva, como o ECO avançou, sendo que a lista de Miguel Coelho acaba de oficializar a sua.

A candidatura de continuidade que emanará da atual administração e terá Virgílio Lima como cabeça-de-lista — Lima já tem a sua equipa pronta e da qual constará Idália Serrão e João Carvalho das Neves. A terceira alternativa poderá surgir do seio de um grupo de altos quadros do Montepio, havendo dois nomes a evidenciarem-se com mais força para assumirem maior protagonismo: Pedro Alves e Pedro Líbano Monteiro, presidentes da Montepio Crédito e da Montepio Valor.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Está lançada a primeira candidatura às eleições no Montepio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião