Amazon está mais perto e assume “compromisso de longo prazo” com Portugal

A Amazon ainda não tem uma loja em Portugal, mas traduziu para português europeu a loja que tem em Espanha. Em resposta ao ECO, a empresa assume o "compromisso de longo prazo" com o país.

A Amazon tem vindo a aproximar-se cada vez mais de Portugal. E quer “continuar a conquistar a confiança dos consumidores portugueses”, assumindo um “compromisso” a “longo prazo” com o país. É a própria empresa que o diz, em respostas enviadas ao ECO.

Em janeiro de 2018, o Jornal de Negócios avançou que a Amazon estava a negociar a entrada no mercado português. Três anos depois, ainda não houve confirmação oficial. Mas a empresa tem dado passos subtis e concretos. E passos de um gigante nunca passam despercebidos.

No ano passado, a pandemia acelerou o comércio eletrónico e colocou Portugal a convergir com a Europa. O mercado expandiu-se e a oportunidade ganhou dimensão. A 27 de janeiro deste ano, a Amazon traduziu a loja espanhola para português europeu. E juntou ao catálogo várias marcas portuguesas, da Ramirez à Science4you. Depois, também a app foi traduzida. Para muitos portugueses, comprar na Amazon já é como ir às compras noutra loja qualquer.

Mas a grande novidade surgiu a 25 de maio, dia em que a Amazon divulgou um primeiro comunicado em português a dar conta da chegada do Prime ao país. É certo que muitos portugueses já assinavam o serviço através da loja de Espanha. Mas a mensalidade caiu para 3,99 euros, preço que inclui portes grátis, plataforma de streaming e armazenamento ilimitado de fotografias. Antes, só o Prime Video custava 5,99 em Portugal.

Qual é a estratégia da Amazon? Fonte oficial da empresa explica ao ECO que “já tem um grande número de utilizadores em Portugal há muitos anos”, que compram em várias lojas da Amazon, incluindo a de Espanha (amazon.es).

“No entanto, estamos bem conscientes de que a experiência desses consumidores não tem sido tão boa como poderia ser, nomeadamente por não poderem comprar no seu idioma nativo”, admite a Amazon. Por isso, a tradução da loja espanhola “foi o próximo passo mais natural”.

“Depois de fornecermos essa experiência, estávamos numa posição de poder lançar um serviço localizado de Prime para os nossos clientes portugueses, com base no serviço Prime espanhol”, acrescenta a mesma fonte. E agora? A empresa espera “continuar a ganhar a confiança dos clientes portugueses e a fornecer uma experiência que estes valorizem”.

Esperamos que estes investimentos mostrem o nosso compromisso de longo prazo com os nossos clientes portugueses.

Fonte oficial da Amazon

Movimentações nos bastidores

Para muitos portugueses, a chegada da Amazon a Portugal só é “oficial” quando houver amazon.pt. Atualmente, o endereço ainda remete para a loja espanhola. Em 2018, quando questionada sobre a abertura da Amazon Portugal, fonte oficial da empresa não quis comentar “especulações”.

Três anos e uma pandemia depois, o ECO voltou a fazer a pergunta à Amazon. A resposta foi semelhante, mas com uma ligeira diferença: “Não fazemos comentários sobre planos futuros.” A interpretação da expressão “planos futuros” fica à consideração de cada um.

Certo é que já há movimentações nos bastidores. Este ano, a empresa passou a fazer-se representar por uma agência de comunicação em Portugal, a Tinkle. E pelo menos uma fonte próxima do Governo disse ao ECO saber que a Amazon está a preparar o aumento da operação no país “há algum tempo, com alguns recrutamentos”.

Mas nada disto garante que a Amazon tenha planos para abrir o amazon.pt num futuro próximo. Muito menos a instalação de um armazém ou centro de logística no país, hipótese que, quando confrontada pelo ECO, a empresa também chuta para canto. É, no entanto, um sinal claro de aproximação a Portugal. Como o é também a própria existência de respostas às perguntas de um órgão de comunicação social português.

“O nosso foco é sempre os nossos clientes. Por isso, continuar a investir neles e a fornecer-lhes uma experiência em constante melhoria é central para a Amazon enquanto negócio. Isto é o que acontece em Portugal, onde investimos na experiência de compra em língua portuguesa e num programa localizado de Prime. Esperamos que estes investimentos mostrem o nosso compromisso de longo prazo com os nossos clientes portugueses”, diz a Amazon.

Se a Amazon, porventura, vier a lançar o amazon.pt este ano, não será a primeira expansão da empresa em 2021. A 2 de março, a Polónia passou a contar com uma loja localizada, acessível através de amazon.pl. A empresa disponibilizou também nesse mercado as versões internacionais dos dispositivos Echo e Echo Dot, que incluem a assistente virtual Alexa.

Todavia, num comunicado a dar conta desse lançamento, a Amazon sublinhou que já operava na Polónia desde 2014. Ou seja, quando foi lançado o amazon.pl, já a Amazon empregava no país um total de 18 mil pessoas em nove centros de distribuição, e três escritórios, um deles da subsidiária AWS. Apesar da aproximação a Portugal, é uma dimensão de presença que a empresa ainda não tem no país. Por isso, a avaliar por estes números, talvez o amazon.pt ainda tenha de esperar mais um pouco.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Amazon está mais perto e assume “compromisso de longo prazo” com Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião