Dense Air ao lado da Anacom nas mudanças ao leilão para acelerar chegada do 5G

A Dense Air é a favor do fim das licitações de valor mais baixo no leilão do 5G, de forma a acelerar o fim do processo. É a única empresa que já tem licenças de quinta geração.

A Dense Air apoia a proposta da Anacom para acabar com as licitações mais baixas e acelerar de vez o leilão do 5G. A empresa é a única que já tem licenças para explorar a quinta geração e quer que as redes comerciais sejam lançadas no país “o mais rapidamente possível”.

No dia em que termina o prazo para as empresas interessadas enviarem à Anacom “contributos” e “sugestões” que queiram ver considerados numa provável segunda alteração ao regulamento da venda das frequências, fonte oficial da operadora grossista disse ao ECO que concorda com a proposta do regulador para pôr fim às licitações percentualmente mais reduzidas.

“A Dense Air apoia de forma inequívoca a proposta da Anacom de alteração ao regulamento que visa suspender a utilização dos incrementos de valor mais baixo, de 1% e 3%, por parte dos licitantes, de forma a acelerar o leilão e garantir o lançamento do 5G, em Portugal, o mais rapidamente possível”, disse fonte oficial da Dense Air.

O ECO questionou também a Altice Portugal, Nos e Vodafone acerca da intenção da Anacom de voltar a mudar as regras do leilão. “A Vodafone confirma que remeteu os seus comentários sobre a decisão da Anacom de alterar novamente o leilão do 5G, comentários esses em linha com os que realizou em junho quando o regulador decidiu mudar as regras a meio do jogo”, disse fonte oficial ao ECO. Já a Nos optou por não comentar e a Altice Portugal ainda não respondeu.

As três principais empresas de telecomunicações já se tinham oposto fortemente à mudança do regulamento na primeira vez que a Anacom tomou a medida, no início deste verão. A posição da Dense Air é, por isso, a oposta à das operadoras de retalho.

A segunda alteração ao regulamento acontece pouco depois de a Anacom ter realizado uma primeira alteração, que não foi suficiente para pôr fim ao processo. A 12 de agosto, o regulador liderado por João Cadete de Matos avançou para uma segunda alteração, que considerou “circunscrita”, numa altura em que a fase principal do leilão já ultrapassou os 150 dias de licitações.

As operadoras têm ainda criticado a decisão da Anacom de não retirar à Dense Air as licenças de uso de frequências de 5G que a operadora grossista herdou de uma empresa que as adquiriu no passado, mas que nunca chegou a usar. A Dense Air é, por isso, a única empresa em Portugal que já tem licenças de quinta geração e tenciona oferecer no mercado serviços de reforço da capacidade das redes 5G de outras operadoras.

Portugal está em risco de ser o último país da União Europeia (UE) a lançar o 5G. A par dos portugueses, só os lituanos ainda não têm a tecnologia comercialmente disponível.

(Notícia atualizada às 18h23 com resposta da Vodafone)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dense Air ao lado da Anacom nas mudanças ao leilão para acelerar chegada do 5G

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião