Van Dunem suspende cinco dos sete militares que agrediram imigrantes

Cinco dos sete militares da GNR acusados de agressões, maus-tratos e sequestro de imigrantes em Vila Nova de Mil Fontes foram suspensos preventivamente por 90 dias.

A ministra da Administração Interna e da Justiça, Francisca Van Dunem, decidiu suspender preventivamente por 90 dias os cinco dos militares da GNR acusados de agressões, maus-tratos e sequestro de imigrantes em Vila Nova de Mil Fontes. Segundo avançou a CNN Portugal, os outros dois militares devem ser suspensos nos próximos dias, uma vez que os serviços não conseguiram notificá-los.

Em causa está a agressão e humilhação feita pelos agentes de Odemira a imigrantes, ação que foi filmada pelos próprios. Os sete militares da GNR estão acusados desde novembro de 2021 de um total de 33 crimes contra imigrantes, provenientes do sul da Ásia, a maioria do Bangladesh, do Nepal e do Paquistão.

Com possibilidade de prorrogação, as suspensões e o desarmamento foram as medidas propostas pela Inspeção-geral da Administração Interna (IGAI) para estes agentes. Segundo avançou a CNN, Van Dunem deverá assinar nos próximos dias os despachos relativos aos dois militares não suspensos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Van Dunem suspende cinco dos sete militares que agrediram imigrantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião