GreenVolt entra no mercado americano com nova aquisição

Empresa de energias renováveis liderada por Manso Neto soma e segue em aquisições. Desta vez, a GreenVolt adquiriu os recursos de uma empresa californiana que lhe abre a porta do mercado americano.

A GreenVolt GVOLT 2,50% anunciou esta segunda-feira a entrada no mercado americano, isto depois de a sua subsidiária V-Ridium Power Group ter concretizado a aquisição de recursos da Oak Creek Energy Systems (OCES), com sede na Califórnia e projetos de energia renovável nos EUA e México.

Em comunicado, a empresa de energias renováveis liderada por João Manso Neto adianta que a compra se materializa na criação da empresa V-Ridium Oak Creek Renewables (VOCR), que será liderada pela equipa de gestão da OCES e absorverá a restante equipa. Não são referidos valores da transação.

O negócio vai permitir à GreenVolt entrar no mercado de promoção e desenvolvimento de projetos de energia renovável no mercado dos EUA, “sozinha ou em parceria com outros operadores”. A empresa portuguesa salienta ainda que a recém-criada VOCR contará com uma “equipa muito experiente e com um vasto track record no desenvolvimento de projetos de energia naqueles mercados”.

O CEO da GreenVolt considera que se trata de “uma enorme oportunidade” a entrada no mercado norte-americano. O negócio, “além de permitir criar novas avenidas de crescimento para a empresa, é realizado através de uma equipa muito experiente no desenvolvimento de projetos bem-sucedidos de energias renováveis”, afirma Manso Neto no comunicado enviado às redações.

Este é o último negócio da GreenVolt, depois de ter realizado várias aquisições ao longo do ano passado, nomeadamente a britânica Tilbury Green Park, a polaca V-Ridium (no âmbito do IPO realizado no verão), a portuguesa Profit Energy e a espanhola Perfecta Energia.

Atualmente, a GreenVolt está presente em vários mercados e negócios de produção de energia renovável. Opera em Portugal com cinco centrais de produção de energia termoelétrica a partir de biomassa residual florestal, com cerca de 98 MW de potência instalada, e uma central de produção de energia elétrica através de biomassa residual urbana de no Reino Unido, com cerca de 42 MW.

Através da sua subsidiária V-Ridium, a GreenVolt desenvolve projetos de energia eólica e solar fotovoltaica, contando um pipeline de cerca de 3,6 GW, dos quais cerca de 1,5 GW estão em fase avançada ou Ready to Build, estando presente na Polónia, Grécia, Itália, França, Roménia e Bulgária, entre outros.

Com a Profit Energy e a Perfecta Energia, a GreenVolt opera no setor da produção descentralizada na Península Ibérica.

A GreenVolt, que se estreou na bolsa portuguesa no verão passado, tendo entrado para o PSI-20 em setembro, registou lucros de 7,5 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2021, uma redução de quase 27% em termos homólogos.

A empresa é detida em 58,72% pela Altri, que tem planos para autonomizar a sua participação e entregá-la diretamente aos seus acionistas. A V-Ridium Europe é o segundo maior acionista, com 9,23% das ações.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

GreenVolt entra no mercado americano com nova aquisição

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião