Depois da queda de 10%, petróleo estabiliza nos 103 dólares

Com vários fatores a pesar no sentimento dos investidores, a negociação do petróleo têm sido marcada por volatilidade. O "ouro negro" recupera após queda, mas de forma ligeira.

Depois de uma queda de cerca de 10%, os preços do petróleo estabilizam, arrancando a sessão desta quarta-feira com uma recuperação ligeira. As preocupações com a oferta voltam à tona, mas os receios de que uma recessão global reduza a procura também têm assustado os investidores.

Pelas 7h00 de Lisboa, o Brent, que serve de referência às importações nacionais, subia 0,97%, para 103 dólares, enquanto o WTI, negociado em Nova Iorque, continuava abaixo da fasquia dos 100 dólares, valorizando 0,4%, para 99,9 dólares.

Mesmo com as perdas de terça-feira, os analistas admitem que a matéria-prima possa voltar a subir. “Hoje há uma espécie de reinício. Não há dúvida, há cobertura curta e os caçadores de pechinchas estão a chegar“, apontou John Kilduff, sócio da Again Capital LLC, citado pela Reuters.

Há vários fatores a afetar os preços, nomeadamente preocupações com a oferta. O secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), Mohammad Barkindo (que morreu na terça-feira à noite, aos 63 anos, a menos de um mês de terminar o mandato) disse que a indústria está “sob cerco” devido a anos de subinvestimento, acrescentando que a escassez pode ser aliviada se fornecimentos extras do Irão e da Venezuela forem permitidos

Mesmo assim, uma greve no setor de petróleo na Noruega que tinha cortado a produção de petróleo e gás e que estava a levantar receios acabou por ser terminada com a intervenção do governo norueguês.

Por outro lado, pesam também no sentimento preocupações com uma recessão, nomeadamente depois de algumas estimativas iniciais indicarem que a economia dos EUA pode ter encolhido nos três meses de abril a junho, naquele que seria o segundo trimestre consecutivo de contração.

(Notícia atualizada às 8h45)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Depois da queda de 10%, petróleo estabiliza nos 103 dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião