De Joe Berardo a Nuno Vasconcellos: Grandes devedores não admitem dívidas e atiram culpas para os bancospremium

“Quem tem dívidas é a Ongoing!”, atirou Nuno Vasconcellos aos deputados. Há dois anos Joe Berardo protagonizou episódio semelhante quando disse: “Eu, pessoalmente, não tenho dívidas”.

“Eu pessoalmente não tenho dívidas”. Faz dois anos que Joe Berardodeixou os deputados da comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos(CGD) com os cabelos em pé. O comendador madeirense recusou ter dívidas à banca em seu nome pessoal, sendo que as suas empresas deviam mais de mil milhões de euros. E lançou culpas aos bancos pela situação em que eles próprios se encontram. Esta semana, a audição de Nuno Vasconcellosnão foi muito diferente. A diferença: desta vez, para salvaguardar a dignidade do Parlamento, os deputados recusaram dar “tempo de antena e palco” ao antigo presidente da Ongoing,que deixou por pagar créditos de 520 milhões no Novo Banco. E ao fim de 50 minutos deram por terminada a audição (com vídeo). As últimas duas comissões parlamentares de inquérito à Caixa e ao

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos