Escritórios de advogados começam a fechar portas a clientes russospremium

Escritórios portugueses condenam posição da Rússia e alguns admitem fechar portas a clientes russos. Todos concordam em seguir as orientações europeias decorrentes das sanções económicas.

No dia 24 de fevereiro o mundo acordou com a notícia do início do ataque da Rússia contra a Ucrânia em três frentes com forças terrestres e bombardeamentos em várias cidades. Vladimir Putin, presidente russo, afirmou ser uma “ operação militar especial” em território ucraniano com a necessidade de desmilitarizar o país vizinho. Por todo o mundo tem crescido uma onda de condenação da posição tomada pela Rússiae várias são as sanções económicas, quer por parte de países europeus quer dos Estados Unidos da América, que têm sido colocadas em prática para com o país do leste. No setor da advocacia também várias medidas estão a ser postas em ação. Algumas até para com os próprios advogados e colaboradores. Por exemplo, o escritório internacional Norton Rose Fulbright, com sede em Londres e

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos