Inovação é a palavra de ordem

  • Céline Abecassis Moedas
  • 7 Agosto 2019

É fundamental apostamos no customer-centricity, isto é, estarmos constantemente atentos às necessidades das empresas e dos mercados.

Num mundo em constante transformação, globalizado, que obriga a uma contínua adaptação às novas tecnologias e a formas inovadoras de fazer negócio, impõe-se uma sociedade baseada no conhecimento, apta a adaptar-se de forma rápida aos novos desafios.

Assim sendo, as formas tradicionais de pensar e fazer sofrem alterações tão rápidas e, por vezes, tão radicais, que transformam qualificações e competências anteriormente valorizadas em obsoletas.

Empresas e trabalhadores procuram escolas e conhecimento para fazer frente aos novos desafios do mercado, já que estão plenamente conscientes de que a formação é essencial para singrar nos mercados, quer nacionais quer internacionais, que estão cada vez mais complexos. Para fazer frente a estes desafios, as empresas recorrem às escolas de negócios e à formação de executivos, propiciando aos seus quadros mais competências e qualificações que lhes permitam desempenhar melhor as suas tarefas. A formação de executivos, mais do que transmissão de conhecimento, consiste na sua partilha e construção, aprofundando e desenvolvendo skills que vão ao encontro das necessidades dos participantes, tornando cada experiência única, seja através dos programas abertos, ou dos customizados construídos à medida das necessidades diferenciadas de cada empresa.

É fundamental apostamos no customer-centricity, isto é, estarmos constantemente atentos às necessidades das empresas e dos mercados, e assim oferecermos serviços de formação alinhados com essas necessidades, e ao mesmo tempo trazer ideias novas ao mundo empresarial através de uma educação inovadora.

Acredito que a Formação de Executivos vai continuar a evoluir fortemente no sentido de se tornar muito mais eficaz e garantir às empresas e participantes uma aplicação mais valiosa do seu tempo e investimento.

Nessa perspetiva, a componente de formação convencional será reduzida. Metodologias muito mais interativas e inovadoras vão cada vez mais ter lugar por forma a garantir aplicação imediata de conhecimentos, como é o caso de simulações, design thinking role-playing, flipped classroom, blended e micro learning e gamification.

A inovação é a palavra de ordem, para todos. E, com os novos desafios que se avizinham, ninguém deve deixar para segundo plano a aposta nas ferramentas que permitem não perder competitividade.

*Céline Abecassis-Moedas é diretora da Formação de Executivos da Católica Lisbon School of Business & Economics

Portugal tem três escolas de formação de executivos entre as melhores do mundo eleitas anualmente pelo jornal britânico Financial Times, menos uma que em 2018. A Nova School of Business and Economics é a melhor classificada entre as escolas portuguesas, mantendo o 57.º lugar, seguida da Católica Lisbon School of Business e da Porto Business School, que mantêm o lugar entre as 80 melhores escolas no mundo, mas perdem posições no ranking global. A Pessoas foi tentar perceber o segredo do sucesso para construir a “escola do futuro”.

  • Céline Abecassis Moedas

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Inovação é a palavra de ordem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião