Exportações portuguesas de bens estagnadas até novembro

  • Lusa e ECO
  • 16 Janeiro 2017

O aumento das exportações no mercado único da União Europeia compensou a queda das exportações para fora da UE, mas o resultado foi nulo: as exportações portuguesas estagnaram.

0%. É esta a diferença nula entre as exportações de bens de janeiro a novembro de 2015 e o mesmo período de 2016. Portugal conseguiu exportar mais 4% para a União Europeia, mas a queda de 10% nas exportações para fora da UE anularam o efeito positivo, segundo divulgou esta segunda-feira o Eurostat. As exportações extra-UE representam menos um terço das exportações para o mercado único europeu.

Ao todo, Portugal exportou 46,2 mil milhões de euros distribuídos pelo comércio intra-UE (34,9 mil milhões de euros) e o comércio extra-UE (11,3 mil milhões de euros). O mesmo efeito nulo verificou-se nas importações pelo que a balança comercial de bens permaneceu praticamente inalterada, apesar de negativa.

No caso dos bens importados, Portugal importou mais 2% da UE, mas menos 7% dos mercados exteriores à União Europeia. Este efeito quase nulo no saldo comercial fez com que este ficasse em -9,3 mil milhões de euros. É o quarto maior défice comercial entre os países da Zona Euro.

Excedente da Zona Euro

A Zona Euro registou um excedente de 25,9 mil milhões de euros na balança do comércio externo em novembro último, acima do excedente de 22,4 mil milhões verificado no mesmo mês de 2015, divulga hoje o Eurostat.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), as exportações da zona euro para o resto do mundo representaram, em novembro de 2016, 184,2 mil milhões de euros, mais 6% do que em novembro de 2015 (173,8 mil milhões).

O valor das importações cresceu 5% para os 158,3 mil milhões de euros, face ao período homólogo (150,9 mil milhões). As exportações estão a crescer a um maior ritmo do que as importações na Zona Euro. O saldo melhorou em 2016, de janeiro até novembro, face ao mesmo período de 2015.

As trocas comerciais entre os países da Zona Euro ascenderam, em novembro último, aos 154,0 mil milhões de euros, uma subida homóloga de 5% (146,1 mil milhões).

A balança comercial externa da UE, por seu lado, teve um excedente de 6,9 mil milhões de euros, acima dos 5,7 mil milhões de novembro de 2015, com as exportações a representarem 156,8 mil milhões (um crescimento homólogo de 5% face aos 148,7 mil milhões) e a importações calculadas em 149,9 mil milhões de euros (também mais 5% do que os 143,0 mil milhões de novembro de 2015).

As trocas comerciais entre os 28 Estados-membros da UE, movimentaram, por seu lado, 281,0 mil milhões de euros, uma subida homóloga de 5% face aos 268,8 mil milhões de novembro de 2015.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Exportações portuguesas de bens estagnadas até novembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião