Instituto Técnico também vai investigar offshores

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 9 Março 2017

Foi iniciada uma peritagem às aplicações informáticas, em colaboração com o Instituto Superior Técnico. Com isto, será alargado o prazo inicialmente previsto para a conclusão da auditoria.

A Inspeção-Geral de Finanças (IGF) “alargou o âmbito da auditoria” ao sistema de informação e controlo das declarações de transferências para offshores, o que vai fazer com que os trabalhos se prolonguem por mais tempo face ao inicialmente previsto.

Uma nota informativa publicada no site da IGF explica que foi iniciada uma peritagem às aplicações informáticas, em colaboração com o Instituto Superior Técnico.

“A IGF alargou o âmbito da auditoria que está a realizar ao sistema de informação e controlo das declarações transfronteiras – anomalias ocorridas no tratamento informático das declarações Modelo 38 pela Autoridade Tributária e Aduaneira -, tendo iniciado uma peritagem, em colaboração com o Instituto Superior Técnico, às respetivas aplicações informáticas”, indica a nota.

“Esta peritagem prolonga o prazo inicialmente previsto para a conclusão da auditoria, mas revela-se necessária para o cabal esclarecimento dos factos públicos ocorridos”, acrescenta.

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, tinha dito no Parlamento que o relatório final da IGF estaria pronto em março.

(notícia atualizada às 17:20)

 

 

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Instituto Técnico também vai investigar offshores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião