Apple quer comprar os chips da Toshiba. Irá conseguir?

A fabricante estará em conversações para subscrever uma oferta de 19 mil milhões de dólares da Bain Capital pela compra do negócio de chips da Toshiba. Componente já é usado nos iPhones.

A Apple estará interessada em participar na compra do negócio de chips da Toshiba. A fabricante do iPhone deverá subscrever a proposta de aquisição já submetida pela Bain Capital, avaliada em 19 mil milhões de dólares, indicaram fontes conhecedoras do assunto à agência Bloomberg.

A empresa japonesa tenta alienar este segmento de negócio há meses, depois de uma aposta ruinosa ligada à energia nuclear e que lançou a Toshiba numa grave crise financeira. Os prazos começam a apertar, com a Toshiba a precisar de capital com urgência até março, ou verá as suas ações serem removidas da bolsa de Tóquio. A ideia é ter um princípio de acordo com uma das partes interessadas até quinta-feira.

Os chips fabricados pela Toshiba são um componente eletrónico que a Apple já usa em iPhones e iPads. Assim, na prática, a firma de Tim Cook estará a tentar conseguir uma posição de relevo numa das suas fornecedoras. Outra fornecedora da Apple neste campo é a rival Samsung Electronics, com quem a Apple estará a tentar, numa lógica de negócio, reduzir ao máximo as aquisições de componentes.

Mas há outro consórcio de peso na corrida, que inclui a empresa de discos rígidos Western Digital e a KKR & Co. — estarão a oferecer 18 mil milhões de dólares pelo ativo. Ao mesmo tempo, a Western Digital recorreu para tribunal no sentido de travar a venda do negócio, uma vez que já era parceira da Toshiba nesta área e acredita que deveria ter uma palavra a dar nesta matéria. Este acordo acabaria com a litigância e é, por isso, a opção preferida pelo Governo japonês.

Quanto à Apple, é pouco comum a fabricante do iPhone lançar-se na aquisição de outras empresas. A firma fê-lo em ocasiões muito específicas, como na compra da Beats e no investimento que fez no fundo tecnológico do Soft Bank. Mas anos e anos de poucas compras levaram a Apple a acumular uma grande quantia de dinheiro em cofre: a 1 de abril, a Apple tinha 256,8 mil milhões de dólares em conta, o equivalente a quase toda a riqueza económica gerada por um país como a Irlanda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Apple quer comprar os chips da Toshiba. Irá conseguir?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião