Na primeira reunião, Powell sobe juros dos EUA

  • Juliana Nogueira Santos
  • 21 Março 2018

Jerome Powell estreou-se na Reserva Federal com uma subida da taxa de juro diretora. Ao estabelecer-se entre 1,5% e 1,75%, está agora em máximos de uma década.

A Reserva Federal norte-americana subiu a taxa de juro diretora, nesta que foi a primeira reunião sobre a liderança de Jerome Powell. A taxa avançou 25 pontos para o intervalo entre 1,5% e 1,75% e atinge assim o nível máximo da última década.

“As previsões económicas melhoraram nos últimos meses”, apontou a Reserva Federal em comunicado, após a reunião de dois dias, em Washington. “O comité prevê que, com os ajustamentos graduais da política monetárias que se seguirão, a atividade económica irá expandir-se a um ritmo moderado a médio prazo e as condições do mercado de trabalho se mantenham fortes.”

A Reserva Federal espera que a inflação norte-americana seja de 1,7% em 2018, alcançando o objetivo dos 2% em 2019, não ficando por aí. Já a economia irá crescer 2,7% em 2018, e 2,4% em 2019, não chegando aos 3% que o presidente Trump queria atingir.

Ainda que as previsões para este ano fiquem inalteradas — três subidas durante 2018 –, estes números relativos à economia dão segurança aos membros da Fed para que estes vejam o ritmo de subidas a acelerar entre 2019 e 2020. A reunião acabou em ambiente de unanimidade, com os oito governadores presentes a votarem a favor da subida dos juros em 25 pontos.

Esta decisão da Reserva Federal já era esperada pelos investidores, sendo que Powell já tinha prometido uma abordagem gradual. “Segundo o ponto de vista do Comité Federal de Mercado Aberto, aumentos graduais na taxa diretora serão a melhor forma de atingir os objetivos”, apontou o novo presidente da Fed, em fevereiro.

Após o anúncio da decisão, os principais índices bolsistas norte-americanos reverteram das perdas do início da sessão. O S&P 500 avança 0,36%, enquanto o Dow Jones ganha 0,11%. O tecnológico Nasdaq ganha 0,18%.

Taxas de Trump preocupam empresas

Na conferência de imprensa após a decisão de subir a taxa diretora, o presidente da Reserva Federal norte-americana, Jerome Powell, focou-se na decisão do Presidente Donald Trump de impor taxas às importações de aço e de alumínio. Diz que se tornou uma preocupação para os dirigentes empresariais.

“A imposição de tarifas não afetou as nossas perspetivas, mas vários participantes na reunião disseram que os líderes empresariais consideram que a política comercial converteu-se numa preocupação para o futuro”, disse Powell, após a sua primeira reunião de política monetária como presidente do banco central norte-americano.

Donald Trump anunciou recentemente a imposição de taxas de 25% para as importações de aço e de 10% para as de alumínio, estando, por enquanto isentos, o México e o Canadá.

(Notícia atualizada às 18h46 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Na primeira reunião, Powell sobe juros dos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião