Tesla na falência? Musk prega partida do dia das mentiras no Twitter

  • Juliana Nogueira Santos
  • 2 Abril 2018

Depois de um mês de más notícias, o anúncio de falência parecia óbvio. Mas Musk enganou milhões através do Twitter. No dia das mentiras vale tudo.

O alerta foi lançado entre suspense. “Notícias importantes daqui a umas horas…”, escreveu Elon Musk no seu Twitter. Depois de um mês de más notícias para a sua marca de automóveis elétricos, o anúncio parecia muito óbvio.

Horas depois, chega um texto em formato de comunicado. “Tesla abre falência – Palo Alto, Califórnia, 1 de abril”, lê-se noutro tweet do fundador da Tesla e da Space X. “Apesar dos esforços intensos por angariar financiamento, incluindo um lançamento massivo de uma venda de Easter Eggs, é com tristeza que anunciamos que a Tesla entrou completamente e totalmente em falência. Está tão falida que nem dá para acreditar.

Na impossibilidade de escrever todo o comunicado numa publicação, visto que cada tweet só comporta 240 carateres, seguiu-se uma sequência ainda mais surpreendente. “Há vários capítulos de falência a apresentar e, tal como os críticos destacaram corretamente, a Tesla apresentou-os todos, incluindo o capítulo 14 e meio (o pior)”, continuou Musk, referindo-se a um documento que não existe.

Depois do texto, a fotografia da desgraça. Acompanhado por uma fotografia que mostra o empresário sentado no chão, de olhos fechados, encostado a um dos seus carros, envergando um cartaz a dizer “Bankwupt!”, aparecia o texto: “Elon foi encontrado desmaiado contra um Tesla Model 3, rodeado de garrafas de “Tesquilla”, com sinais de lágrimas secas ainda visíveis nas suas bochechas“.

Despedindo-se com um “feliz mês novo”, Musk denunciou a sua partida do dia das mentiras, celebrado por todo o mundo no dia 1 de abril. Serviu-se do Twitter, a sua rede social favorita, na qual também já tinha anunciado — mas de verdade — o encerramento das páginas de Facebook das suas empresas.

No mês passado, as ações da Tesla caíram mais de 22%, a maior queda mensal desde dezembro de 2010, altura em que a empresa entrou em bolsa. Os receios de as metas de produção não serem alcançadas a tempo e o último acidente com um carro autónomo, que causou um morto, tem levado muitos a criticar o plano de negócio de Musk e a duvidar da sustentabilidade das suas empresas.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tesla na falência? Musk prega partida do dia das mentiras no Twitter

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião