Mark Zuckerberg vai assumir erros no Congresso

O fundador do Facebook deverá assumir responsabilidade pela plataforma no Congresso dos Estados Unidos. Audição acontece esta quarta-feira, depois do escândalo da Cambridge Analytica.

“Nós não tivemos uma visão alargada da nossa responsabilidade e isso foi um grande erro. Foi um erro meu e peço desculpa. Eu comecei o Facebook, faço a gestão e sou responsável pelo que acontece.” É assim que Mark Zuckerberg se deverá dirigir aos congressistas norte-americanos na audição desta quarta-feira, de acordo com o discurso inicial divulgado pela CNBC, assumindo que tem culpas no cartório no que toca ao uso indevido de dados pessoais de 87 milhões de utilizadores por parte da consultora Cambridge Analytica.

“Está claro que não fizemos o suficiente para prevenir que as ferramentas fossem usadas para o mal”, lê-se no mesmo discurso. “Não é suficiente apenas conectar pessoas. Temos de nos certificar de que essas ligações são positivas”, sublinha o presidente executivo da maior rede social do mundo.

Mark Zuckerberg porá também em cima da mesa a hipótese de ter havido interferência russa nas eleições Presidenciais de 2016 nos Estados Unidos, admitindo que a empresa foi “demasiado lenta a detetar e a responder” a essa realidade.

Nós não tivemos uma visão alargada da nossa responsabilidade e isso foi um grande erro. Foi um erro meu e peço desculpa.

Mark Zuckerberg

Presidente executivo do Facebook

“Hoje, servimos mais de dois mil milhões de pessoas em todo o mundo e, todos os dias, pessoas usam os nossos serviços para se manterem ligadas a outras pessoas que têm significado para elas. Acredito profundamente no que estamos a fazer”, indicará também o líder do Facebook, num longo discurso que deverá explicar, com algum detalhe, que medidas é que a empresa está a tomar em cada área.

Mark Zuckerberg concluirá, dizendo que “os problemas” que aqui estão em causa “não são apenas problemas do Facebook e da comunidade” da rede social, mas são “desafios para todos os Americanos”. Dito isto, Zuckerberg passará a ser questionado pelos congressistas.

Esta segunda-feira, o presidente executivo do Facebook anunciou a criação de uma comissão independente, financiada por diversas fundações, para investigar o efeito das redes sociais nas eleições e na democracia. Mark Zuckerberg responderá perante o Senado esta terça-feira e perante a Câmara dos Representantes esta quarta-feira, altura em que deverá ler este discurso.

(Notícia atualizada às 17h37 com mais informações)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Mark Zuckerberg vai assumir erros no Congresso

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião