MLGTS e Uría Menéndez-PC na assessoria da venda do Lagoas Park

A Teixeira Duarte, que contou com a assessoria da MLGTS, vendeu o Lagoas Park a um fundo de private equity. O comprador, Kildare, foi assessorado pela Uría Menéndez-Proença de Carvalho.

A Teixeira Duarte vendeu recentemente a Lagoas Park ao fundo europeu de “private equity” Kildare. Nos bastidores desta venda estiveram as sociedades de advogados Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS), que assessorou a Teixeira Duarte, e a Uría Menéndez-Proença de Carvalho, na assessoria do comprador, a Kildare.

Em causa esteve a negociação e celebração de um contrato para a alienação da totalidade do capital social da sociedade “Lagoas Park, S.A.” a uma subsidiária do fundo europeu de private equity — a Kildare. O valor final ainda não está apurado, mas terá um impacto nos resultados do grupo de “cerca de 25 milhões de euros”, segundo a Teixeira Duarte.

A empresa já tinha fechado um acordo, em abril, com o BCP, a CGD e o Novo Banco, que previa “uma redução significativa do passivo bancário alinhada com um programa de alienação de ativos no valor de cerca de 500 milhões de euros”. Entre os ativos envolvidos constava o Lagoas Park, bem como a participação de 7,5% na Lusoponte.

A equipa da MLGTS envolvida nesta operação foi constituída pelos advogados João Soares da Silva, Filipa Arantes Pedroso, Rita Ferreira Vicente e Maria Cortes Martins.

A equipa da Uría foi composta por Duarte Garin, Francisco Brito e Abreu, Rita Xavier de Brito, José Maria Rodrigues e Alexandre Pedral Sampaio.

Comentários ({{ total }})

MLGTS e Uría Menéndez-PC na assessoria da venda do Lagoas Park

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião