Vai viajar? Estas são as melhores companhias aéreas… e os melhores aeroportos

  • ECO
  • 7 Junho 2018

A TAP é a única companhia portuguesa neste ranking, assim como os aeroportos Francisco Sá Carneiro e Humberto Delgado.

Para quem está a planear viajar, consultar este ranking poderá ser uma boa opção. Na lista divulgada pela AirHelp sobre as melhores companhias áreas e aeroportos do mundo, a TAP é a única representante portuguesa, assim como os aeroportos de Francisco Sá Carneiro, no Porto, e General Humberto Delgado, em Lisboa. As classificações foram calculadas com base em quatro critérios: qualidade de serviço, pontualidade, tratamento de reclamações e análise online do sentimento do consumidor.

No ranking das companhias áreas, a TAP ocupa a 60.ª posição num total de 72, com uma pontuação final de 6,4 pontos. A transportadora portuguesa arrecadou uma pontuação de 6,9 em pontualidade (numa escala de 1 a 10), 6,3 em qualidade de serviço e 6,1 em tratamento de reclamações, lê-se no comunicado da AirHelp.

No topo desta tabela está a Qatar Airways, com uma pontuação final de 9,1 pontos. A companhia qatari melhorou este ano a pontualidade, de forma bastante significativa, e o tratamento das reclamações. Destrona, assim, a Singapore Airlines, que ocupa este ano a 4.ª posição. Em 2.º lugar está a alemã Lufthansa, à frente da Etihad Airways (Emirados Árabes Unidos, 3.º) e da South African Airways (África do Sul, 5.º).

No sentido inverso, as cinco companhias com as piores classificações são a Air Mauritius (Ilhas Maurícias, 68.º), a Easyjet (Reino Unido, 69.º), a
Pakistan International Airlines (Paquistão, 70.º), a Royal Jordanian Airlines (Jordânia, 71.º) e a WOW Air (Islândia, 72.º).

Melhores aeroportos do mundo

No ranking dos aeroportos, há dois portugueses na lista de 141 classificados: o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, ocupa a 90.ª posição, com uma pontuação final de 7,4 pontos. Por sua vez, o Aeroporto General Humberto Delgado, em Lisboa, surge no 121.º lugar, com 6,8 pontos. A qualidade de serviço é o parâmetro com a pontuação mais elevada do Aeroporto do Porto (8,6), seguindo-se a pontualidade (6,9) e a análise online do sentimento do consumidor (4,2). O Aeroporto de Lisboa obteve 7,4 em qualidade de serviço, 6,6 em pontualidade e 5 em análise online do sentimento do consumidor.

O Aeroporto Internacional de Hamad, no Qatar, destaca-se como o melhor do mundo. Atrás está o Aeroporto Internacional de Atenas (Grécia, 2.º), o Aeroporto Internacional de Tóquio (Japão, 3.º), o Aeroporto Colónia-Bona (Alemanha, 4.º) e o Aeroporto Changi de Singapura (Singapura, 5.º lugar), que liderava o ano passado.

As cinco pontuações mais baixas foram atribuídas ao Aeroporto de Estocolmo-Bromma (Suécia – 137.º), seguido dos aeroportos franceses Paris-Orly (138.º) e Lyon-St Exupery (139.º), do Aeroporto de Londres-Stansted (140.º) e do Aeroporto Internacional do Kuwait (141.º).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vai viajar? Estas são as melhores companhias aéreas… e os melhores aeroportos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião