A tarde num minuto

Não teve tempo de ler as notícias esta tarde? Fizemos um best of das mais relevantes para que fique a par de tudo o que se passou, num minuto.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Boris Johnson, demitiu-se esta segunda-feira. É a terceira baixa em 24 horas, depois de David Davis e Steve Baker. O presidente do BCE voltou a apelar à necessidade de criar um fundo de garantia europeu que permita assegurar os depósitos da Zona Euro. Draghi defende que a partilha de riscos ajuda a diminuí-los.

Boris Johnson demitiu-se e vai deixar a pasta dos Negócios Estrangeiros do Governo de Theresa May, avançou a Reuters. Esta é a terceira baixa em 24 horas, depois da saída de David David, que era ministro do Brexit, e de Steve Baker, o seu braço direito no Departamento para a Saída da União Europeia, de acordo com o The Guardian.

O presidente do Banco Central Europeu (BCE) voltou a falar da necessidade da criação de um fundo de garantia de depósitos bancários comum para a Zona Euro. O apelo foi feito por Mario Draghi perante os deputados europeus, nesta segunda-feira, socorrendo-se do argumento de que a partilha de riscos ajuda a diminuí-los.

De que serve uma lei, se ela é alterada todos os anos por outras leis? Esta é a dúvida lançada por Rui Nuno Baleiras que, num artigo de opinião publicado a 2 de julho no jornal Público, apresenta uma contabilidade para as mudanças que a Lei das Finanças Locais (LFL) sofre praticamente todos os anos no Parlamento, quando os deputados votam o Orçamento do Estado (OE). Entre 2001 e 2018, só em 2009 não houve uma norma do OE a alterar uma regra da LFL, disse ao ECO. Em 17 anos, o OE sobrepôs-se à lei que fixa as regras financeiras das autarquias.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse esta segunda-feira que, numa altura em que tanto se tem falado no Interior e no desenvolvimento do Interior, os investimentos ferroviários em curso “estão todos encostados à fronteira”.

O Governo vai avançar com um reforço de 300 milhões de euros de apoio ao empreendedorismo, adianta esta manhã o Diário de Notícias (acesso pago). De acordo com o Dinheiro Vivo/DN, o reforço é uma tentativa para incrementar o “crescimento tão acelerado” como o que o “ecossistema teve nos últimos dois anos”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A tarde num minuto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião