Altice Bank há um ano na gaveta. Dona da Meo diz que projeto está “em curso”

Soube-se há um ano que a dona da Meo está a criar um banco digital, uma informação que ainda não tinha sido comentada pela empresa. Agora, ao ECO, a Altice assume ter interesse no setor financeiro.

Foi a 13 de julho de 2017 que se soube que a Altice quer criar um banco. A notícia partiu de um jornal francês, que indicava que o grupo de Patrick Drahi pretende lançar este serviço no início de 2019 nos mercados europeus onde tem operações — ou seja, Portugal incluído. Mas a dona da Meo nunca confirmou nem desmentiu este projeto. Um ano depois, o que é feito do Altice Bank?

É certo que, agora, a empresa tem mais margem para falar. Em resposta às questões do ECO, a Altice Portugal — que tem uma estratégia focada em telecomunicações, publicidade e conteúdos — assume agora este interesse: quer entrar no negócio financeiro e tem “projetos em curso nesse sentido”. Para tal, a chave deverá passar por uma parceria.

“A entrada da Altice em Portugal no negócio financeiro continua a merecer a nossa atenção e temos projetos em curso nesse sentido. No momento certo e com os parceiros adequados, anunciaremos os nossos desenvolvimentos nessa frente, não existindo nenhum calendário pré-definido para tais anúncios”, diz ao ECO fonte oficial da dona da Meo.

A entrada da Altice em Portugal no negócio financeiro continua a merecer a nossa atenção e temos projetos em curso nesse sentido.

Altice Portugal

Há um ano, o francês Le Parisien garantia que o projeto do Altice Bank era um segredo “bem guardado” na empresa, mas cujo desenvolvimento já estaria bastante avançado. Segundo o jornal, a empresa chegou mesmo a submeter ao Banco Central Europeu (BCE) os documentos necessários para o licenciamento do projeto e estava previsto que se pronunciasse antes do final das férias do verão passado. A marca Altice Bank já está registada a nível europeu desde meados de outubro de 2016, válida por dez anos.

Contudo, ao que o ECO apurou, o Altice Bank ainda não tem licença para funcionar, nem mesmo a nível europeu. Questionado sobre se o grupo Altice já pediu licença bancária, fonte oficial do Banco de Portugal (BdP) garante que não, nem o regulador português foi informado disso pelo BCE. “No que respeita à prestação de serviços bancários em Portugal pelo grupo Altice, não foi ainda recebida pelo Banco de Portugal qualquer notificação para o exercício da atividade bancária, quer nos termos do passaporte comunitário, quer através de outras formas de representação”, disse o BdP ao ECO.

A Altice ATC 0,00% deverá, assim, associar-se a um ou mais parceiros para fornecer uma solução bancária online e provavelmente focada no segmento mobile, seguindo uma tendência do setor tecnológico já visível no mercado internacional. Entre os serviços que a empresa poderá disponibilizar estão as transferências de dinheiro entre utilizadores, bem como os pagamentos digitais. E se optar pela mesma estratégia da concorrente Orange, que lançou o Orange Bank há pouco mais de um ano, poderá mesmo vir a realizar empréstimos. No entanto, ainda não há qualquer informação oficial.

Certo é que o grupo liderado por Patrick Drahi já tem algum know-how em serviços financeiros. Em Portugal, controla o serviço Meo Wallet, uma aplicação para o smartphone que permite fazer pagamentos em alguns comerciantes aderentes, carregar o saldo do telemóvel ou enviar e receber dinheiro. Nas Antilhas, a operadora SFR, da Altice, tem uma oferta bancária com a marca OPS, segundo o Le Parisien. Em França, o principal mercado, existe o SFR Pay, um serviço de micropagamentos.

A incursão de tecnológicas pelo mundo financeiro não é uma novidade. Há cada vez mais empresas a quererem guardar o seu dinheiro.Pixabay

Várias tecnológicas têm vindo a entrar no mundo financeiro como forma de aproveitar mais uma parte da cadeia de valor do cliente. Uma dessas empresas é a Amazon, que estará em conversações com grandes bancos internacionais para criar um produto semelhante a uma conta bancária digital. Desta forma, a empresa deverá ser capaz de reduzir as despesas com comissões pagas a entidades financeiras no processamento de pagamentos na sua plataforma.

Outra gigante tecnológica com planos para o setor da banca é a Apple. A fabricante do iPhone ter-se-á associado ao banco Goldman Sachs e deverá lançar um cartão de crédito com a marca Apple Pay.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Altice Bank há um ano na gaveta. Dona da Meo diz que projeto está “em curso”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião