MLGTS reforça equipa de associados

A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS) reforçou recentemente a sua equipa, contando com mais um advogado sénior e cinco associados.

A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS) reforçou recentemente a sua equipa, contando com mais um advogado sénior e cinco associados.

Miguel Cortez Pimentel reforçou a área de Fiscal, enquanto advogado sénior. Tem desenvolvido a sua prática jurídica desde 2004 com enfoque em projetos de consultoria, reestruturação e planeamento fiscal internacional. Ao longo da sua carreira, tem assessorado grupos nacionais e internacionais a operar em diversas áreas de negócio, tendo adquirido experiência relevante na assessoria fiscal a operações de M&A, reestruturação de modelos de negócio e tributação de produtos financeiros. Entre outubro de 2015 e março de 2018 trabalhou em Nova Iorque apoiando clientes do sector financeiro, designadamente bancos, seguradoras e gestoras de ativos (fundos de pensões, hedge funds e fundos de private equity), em operações internacionais. Integra o painel de peritos do Fundo Monetário Internacional (Legal e Fiscal Affairs Department), onde trabalhou como consulting counsel entre Março e Setembro de 2015.

Maria Carolina Gonçalves é a nova associada da equipa de imobiliário, desenvolvendo a sua atividade principalmente nas áreas de direito imobiliário e societário, onde presta assessoria a clientes nacionais e estrangeiros em diversas operações imobiliárias incluindo operações com fundos de investimento imobiliário.

A nova associada Ana Carrilho Ribeiro integrou a equipa de fiscal. Anteriormente, colaborou com a PwC como consultora fiscal no Luxemburgo (2014) e em Nova Iorque (2015 – 2018), tendo-se especializado na área do planeamento fiscal internacional para empresas multinacionais e fundos de investimento, bem como para high-net worth individuals: assessorou várias operações de reorganização e de reestruturação, fusões e aquisições envolvendo questões relacionadas com a implementação de estruturas, dupla tributação e impostos indiretos. Deu ainda assistência a clientes do setor financeiro na avaliação, supervisão e determinação da probabilidade de materialização de contingências fiscais de portfolios de investimento, incluindo instrumentos financeiros, em diversas jurisdições.

Finalmente, Beatriz Morais Sarmento, Francisco Vieira de Almeida e Tiago Coelho Magalhães foram promovidos a associados, após conclusão do estágio na MLGTS.

Beatriz Morais Sarmento integra a equipa de contencioso e arbitragem, tendo também colaborado com a equipa de bancário e financeiro e mercado de capitais.

Francisco Vieira de Almeida reforça a equipa de comercial e societário, pertencendo também à Team Genesis, equipa interna especialmente vocacionada para a inovação e empreendedorismo.

Tiago Coelho Magalhães integra a equipa de contencioso criminal, contraordenacional e compliance.

A promoção a associado é feita por convite, enquanto reconhecimento do mérito e do percurso individual. A MLGTS tem tido um crescimento contínuo, com uma aposta muito forte num plano de carreira sólido, que permite aos jovens advogados a participação em projetos muito sofisticados e inovadores desde o início da sua vida profissional.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

MLGTS reforça equipa de associados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião