MLGTS reforça equipa de corporate com nova sócia

A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS) reforça a sua equipa de corporate com uma nova sócia, Magda Viçoso.

A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS) reforça a sua equipa de corporate com uma nova sócia, Magda Viçoso.

Magda Viçoso integra a equipa de corporate da MLGTS enquanto sócia contratada. As áreas de Mercado de Capitais, M&A, Societário e Bancário têm sido o principal foco da sua atividade profissional, onde adquiriu larga experiência sobretudo na assistência em ofertas públicas e privadas de ações, ofertas públicas de aquisição, fusões e aquisições, e parcerias e privatizações, de relevo nacional e internacional. No seu percurso prestou igualmente assessoria jurídica regular a sociedades cotadas e grupos de dimensão significativa, em especial nos setores da banca, energia, cimenteiro, telecomunicações, serviços postais e logística.

Magda Viçoso colaborou previamente com os CTT e o Banco CTT e, anteriormente, com a PLMJ, onde integrou e coordenou a equipa de Mercado de Capitais.

Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e pós graduada em Direito dos Valores Mobiliários pela mesma instituição, Magda Viçoso frequentou o LL.M de Direito Bancário e Financeiro do King’s College London/University of London.

“O reforço da equipa de corporate com a integração de uma advogada com grande conhecimento e experiência transversal é fruto de uma decisão estratégica de consolidação da Sociedade. Estando a área num momento de fortíssimo dinamismo, este passo pareceu-nos essencial. Não podemos estar mais contentes de poder contar a partir de agora com a Magda Viçoso como sócia da Morais Leitão”, comenta Nuno Galvão Teles, managing partner da MLGTS.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

MLGTS reforça equipa de corporate com nova sócia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião