BCE alerta que não há margem para baixar exigência de capital aos bancos

O supervisor do BCE defende que não há margem para fazer recuar as exigências de capital que têm sido impostas aos bancos da Zona Euro. Alerta, contudo, para o risco de se ir longe de mais.

Não há margem para baixar as exigências de capital impostas aos bancos da Zona Euro. Quem o diz é um dos supervisores do Banco Central Europeu (BCE), citado pela Reuters, esta terça-feira. “Neste momento, não há espaço para relaxar os requisitos de capital impostos às instituições financeiras”, determina Pentti Hakkarainen, alertando, contudo, para a necessidade de não se sufocar a inovação.

“Não encontro indicadores nas pesquisas mais recentes que me digam que as exigências atuais são demasiados elevadas”, diz Hakkarainen. O supervisor reage, assim, às críticas que têm sido dirigidas ao BCE sobre as reservas de capital que têm sido exigidas às instituições, desde a crise financeira.

Para evitar a repetição desse cenário, a instituição liderada por Mario Draghi tem mesmo pressionado os bancos no sentido de reforçarem o seu capital. Deste modo, desde que o BCE assumiu o papel de supervisor do setor, em 2014, os rácios de capital Tier 1 aumentaram, em média, 3,4 pontos percentuais, estando agora acima dos 15%.

Apesar de considerar não haver margem para fazer esse limite recuar, Hakkarainen sublinha que é preciso ter cuidado para não ir “longe de mais”, ou seja, é preciso evitar sufocar o sistema, “Temos de deixar os agentes do mercado decidirem, por eles mesmo, as suas estratégias de negócio, dando aos bancos espaço para respirar e inovar em função do interesse dos seus clientes”, salienta o responsável.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCE alerta que não há margem para baixar exigência de capital aos bancos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião