Voltam a circular mensagens falsas em nome dos CTT e do Continente. Prometem prémios e dinheiro

Os CTT avisaram que há uma campanha fraudulenta por SMS. O Continente fê-lo no final do mês passado. Pingo Doce e Lidl também já tinham sido alvo. A fraude veio para ficar e todo o cuidado é pouco.

Se recebeu uma mensagem suspeita em nome de uma marca portuguesa conhecida, como os CTT ou o Continente, pode estar a ser alvo de uma tentativa de burla. Várias empresas portuguesas estão a ser alvo de campanhas fraudulentas, uma tendência que não é nova e já afetava a banca, mas que está a disseminar-se por outros setores, como os correios e o retalho.

Estas tentativas de burla são vulgarmente chamadas de tentativas de phishing. Não são um problema novo, embora esteja cada vez mais sofisticado. Com recurso a informação que o utilizador conhece (como uma marca, por exemplo), os burlões tentam levar a vítima a fazer alguma coisa, como, por exemplo, fazer um pagamento falso ou ceder dados pessoais.

Os CTT CTT 0,00% são uma das empresas que, nas últimas semanas, tem enfrentado este tipo de situação. O problema ganhou uma dimensão considerável, o que levou a empresa a decidir que estava na hora de avisar os clientes. Numa breve mensagem publicada no site da empresa, os CTT alertam que “diversos clientes” têm recebido mensagens SMS “em nome dos CTT” e “num português pouco correto”.

“Estes SMS são fraudulentos”, garante a empresa, sem especificar o conteúdo dos mesmos. Informa ainda que “já estão a ser efetuadas diligências junto das entidades competentes”. “Caso receba estes SMS, que representam um esquema de phishing, através do qual uma entidade desconhecida pretende obter dados privados, não descarregue anexos nem acesa a links e apague o SMS”, conclui a companhia.

Fraude é cada vez mais popular no retalho

Também no setor retalho têm surgido problemas do mesmo género. A empresa mais recente a emitir um aviso foi o Continente. Num comunicado, a cadeia de hipermercados da Sonae deu conta da existência de “campanhas fraudulentas em nome do Continente” que estão a circular em sites, redes sociais e por via de mensagens SMS. A empresa dá mais alguns detalhes e indica que a falsa campanha diz respeito a “um sorteio de códigos postais”.

“A mensagem é fraudulenta, porque, para além de utilizar indevidamente e ilegalmente o nome da marca Continente, procura recolher dados pessoais de cidadãos com a promessa de um prémio inexistente”, referiu a cadeia portuguesa de retalho. “Os destinatários são pessoas selecionadas aleatoriamente, clientes e não clientes do Continente”, sublinhou a empresa, confirmando “que não houve acesso indevido aos dados” pessoais de quem fez compras nas lojas da Sonae.

Imagem posta a circular pelo Continente para alertar os portugueses para a existência de campanhas fraudulentas em nome da marca da Sonae.D.R.

A retalhista da Sonae SON 0,00% apresenta ainda uma imagem de uma dessas mensagens, onde se lê: “Parabéns! Os resultados do sorteio de códigos postais saíram hoje! Você é um dos nossos 15 compradores sortudos.” A mensagem fraudulenta é ainda acompanhada de uma ligação, através da qual a campanha de phishing tentaria produzir os resultados pretendidos pelos burlões. A dimensão da fraude levou o Continente a lançar um portal de segurança com informações sobre a campanha de phishing.

As campanhas de phishing estão, desta forma, a ganhar tração entre os portugueses e a chegar a cada vez mais setores da economia. Sempre foram muito comuns no setor da banca, e parecem estar a propagar-se de forma massiva pelo setor do retalho.

Até porque o Continente não foi a primeira marca a ser visada por uma burla deste género: os alertas têm sido sucessivos e também o Pingo Doce, da Jerónimo Martins, revelou há vários meses estar a ser alvo deste tipo de campanhas.

“Identificámos o envio de mensagens falsas em nome do Pingo Doce, como o caso de um sorteio, que não foram enviados pelo Pingo Doce”, lê-se num antigo comunicado publicado pela empresa. “Pedimos um especial cuidado na divulgação dos seus dados pessoais em páginas que não são oficiais da marca, assim como nos termos e condições de participação em todos os concursos e passatempos”, sublinhava a empresa.

Em meados de janeiro, também o Lidl foi alvo de uma campanha fraudulenta, de phishing, na qual era prometido um cartão com 250 euros para gastar nos hipermercados da empresa. São apenas alguns exemplos, longe de serem os únicos, pelo que todo o cuidado é pouco.

Comentários ({{ total }})

Voltam a circular mensagens falsas em nome dos CTT e do Continente. Prometem prémios e dinheiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião