Sete sessões de ganhos dão 1,8 mil milhões de euros à bolsa de Lisboa

O PSI-20 valorizou 4% nas últimas sete sessões, no mais extenso ciclo de subidas desde junho do ano passado. As 3 maiores cotadas - EDP, Galp e Jerónimo Martins - contribuíram com mais de mil milhões.

Após mergulharem numa depressão, a euforia. Este poderá ser o retrato das últimas sessões na bolsa nacional. A praça lisboeta acaba de completar, nesta quarta-feira, o maior ciclo de ganhos dos últimos dez meses. Nesse período, o PSI-20 “engordou” perto de 1,8 mil milhões de euros.

O índice bolsista nacional avançou 0,97%, para os 5.338,48 pontos, nesta quarta-feira, registo que lhe permitiu elevar para sete, o número consecutivo de sessões de ganhos. No acumulado dessas sessões, o PSI-20 somou 3,8%, com a grande maioria dos 18 títulos que o compõem em terreno de ganhos. Apenas três cotadas do índice acumulam perdas nas últimas sete sessões: Ibersol (-1,3%), Sonae Capital e EDP Renováveis, ambas com deslizes de 0,7%.

Seria necessário recuar até 7 de junho do ano passado para ver o índice bolsista nacional completar um ciclo de sessões de ganhos tão extenso. Neste momento, o PSI-20 está em máximos de seis meses, em sintonia com as ações europeias que estão na fasquia mais elevada dos últimos oito meses.

Evolução do PSI-20

A recente toada de ganhos na praça bolsista nacional e também na Europa acontece após um período ensombrado pelos receios dos investidores relativamente ao risco de uma recessão económica global, no seguimento de dados económicos menos positivos na Alemanha e nos EUA. Esse cenário levou os investidores a procurarem refúgio em ativos como a dívida alemã que chegou mesmo a regista juros negativos, mas também nas Treasuries norte-americanas.

Nas últimas sessões esses receios aliviaram, perante novos dados económicos, mas também com a nota de progressos nas negociações comerciais entre os EUA e a China. Ao mesmo tempo, os investidores parecem relativizar o impasse que impera sobre o Brexit.

No caso da bolsa nacional, a melhoria do sentimento dos investidores, brindou as cotadas nacionais com 1.700,5 milhões de euros de valor de mercado.

Mais de mil milhões de euros desse total resultaram da valorização de apenas três cotadasEDP, Galp Energia e Jerónimo Martins — que são também as maiores empresas do PSI-20.

Qualquer destas três cotadas valorizou acima de 3% nas últimas sete sessões. A elétrica liderada por António Mexia viu o seu valor de mercado crescer 382 milhões de euros, logo seguido pela petrolífera que “engordou” em bolsa 378 milhões de euros, num período marcado pela aceleração das cotações do petróleo nos mercados internacionais nas últimas sessões. Já a retalhista viu a sua capitalização bolsista aumentar 298 milhões de euros.

Entre os maiores ganhos em termos de capitalização bolsista figuram ainda o BCP e a Nos. As ações do banco liderado por Miguel Maya somaram 7,4% em sete sessões, conquistando 249 milhões em valor de mercado. Já as ações da telecom aceleraram 7,8%, elevando em 223 milhões a sua capitalização bolsista.

Contudo, a Mota-Engil foi a cotada do PSI-20 que registou a maior valorização bolsista: 12%.

(Notícia atualizada às 16h58 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Sete sessões de ganhos dão 1,8 mil milhões de euros à bolsa de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião