Facebook pedia password do email a novos utilizadores

Alguns utilizadores viram-se obrigados a dar a password do email ao Facebook para poderem completar o registo na plataforma. A empresa reconheceu a prática e anunciou que vai deixar de pedir o dado.

O Facebook pediu a alguns novos utilizadores a password dos respetivos emails para que pudessem abrir uma conta na rede social, avançou a imprensa especializada. Este era um passo que estava a ser exigido e só através de vários passos é que o utilizador era capaz de contornar o pedido.

A password do email é um dado estritamente pessoal de cada utilizador, uma vez que permite aceder à caixa de entrada, onde está a correspondência privada, independentemente do fornecedor de serviços escolhido. A empresa confirmou que tinha adotado esta prática e, depois das críticas, decidiu deixar de pedir a password.

O alerta foi dado quando algumas pessoas recorreram ao Twitter para denunciar que o Facebook estava a pedir a password dos emails como forma de “verificação” das contas. A empresa acabou por confirmar que este era um método disponível “a um número muito pequeno de pessoas” e que este dado não era armazenado pela plataforma.

No entanto, fonte oficial da empresa, citada pelo jornal especializado CNet, acabou por admitir que a empresa “compreende que a verificação com password não é” o melhor método e anunciou que a empresa vai deixar de pedir esta informação a novos utilizadores.

Este é mais um caso a envolver a privacidade e segurança dos utilizadores do Facebook. O caso ganha especial relevância na medida em que as passwords são consideradas uma informação pessoal e intransmissível, mesmo pela própria rede social.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Facebook pedia password do email a novos utilizadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião