Hoje nas notícias: apagão fiscal, investimento e passes

  • ECO
  • 5 Abril 2019

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

O apagão que fez desaparecer vários dados de relatórios do Fisco continua sem avançar há mais de um ano. O vice-presidente do FMI aponta que as áreas de saúde, educação e infraestruturas mereciam mais investimento em Portugal. As verbas para integrar investigadores precários estão garantidas através do PREVPAP, adiantou o ministro da Ciência e Ensino Superior, Manuel Heitor. Veja estas e outras notícias que marcam as manchetes nacionais.

Investigação ao “apagão fiscal” parada há 19 meses

Depois de um “apagão fiscal” que eliminou vários dados de relatórios de combate à fraude ao Fisco, a investigação do Ministério Público a esta situação está parada há 19 meses. Este atraso de mais de um ano motivou a eurodeputada Ana Gomes a enviar uma carta à Procuradoria-Geral da República, onde reitera que as transferências de fluxos financeiros do antigo BES para paraísos fiscais foram “o maior roubo organizado de poupanças de depositantes” no banco de Ricardo Salgado. Leia a notícia completa no Jornal Económico (ligação indisponível).

Portugal devia “investir mais” em Saúde, Educação e Infraestruturas, avisa vice-presidente do FMI

David Lipton, vice-presidente do FMI, considera que “Portugal devia reorientar gastos para investir mais” em áreas em que o investimento é mais necessário, como a Saúde, a Educação e as Infraestruturas, aproveitando este período de recuperação da grande crise económica e financeira. “Os países estavam muito fracos, não tiveram outra escolha se não ajustar os seus défices orçamentais e baixar os gastos em muitas categorias”, reconheceu David Lipton, em entrevista ao Jornal de Negócios. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Governo garante verbas para integrar investigadores precários

“Um falso problema”. É desta forma que o ministro da Ciência e Ensino Superior, Manuel Heitor, classifica a falta de verbas para integrar investigadores científicos precários. O responsável garante que haverá dotação orçamental para os reitores integrarem nos quadros das universidades investigadores científicos, através do Programa de Regularização Extraordinário dos Vínculo Precários na Administração Pública (PREVPAP). Um programa que, segundo Manuel Heitor, recebeu as candidaturas de cerca de 1.500 investigadores, tendo sido aprovada até agora a integração de duas centenas. Leia a notícia completa na Renascença (acesso livre).

Venda de passes em Lisboa sobe 15%

Com a introdução dos novos tarifários e modalidades nos transportes, que entrou em vigor a 1 de abril, as vendas dos passes dispararam. Foram vendidos mais de 630 mil títulos na grande Lisboa até ao final do mês de março, no que foi um aumento de 15% face ao mesmo período de 2018, de acordo com o presidente da Câmara, Fernando Medina. Por agora estão disponíveis duas modalidades, e em julho será introduzido o passe de família. Leia a notícia completa no Dinheiro Vivo (acesso pago).

Funcionários do INEM obrigados a devolver salários

São 18 os funcionários do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que vão ter de devolver salários, ganhos entre 2013 e 2018, porque a Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP) considera que foram pagos indevidamente devido a um erro na posição remuneratória que os colocou como técnicos superiores. Os trabalhadores receberam 1201,48 euros, em vez de receberem 995,51 euros mensais. Em causa estão devoluções até 17.301 euros. Os valores não estão fechados porque dependem do trabalho efetuado por cada funcionário. A situação foi detetada no início do ano e, entretanto o INEM já abriu um inquérito. Leia a notícia completa no Público (acesso condicionado).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: apagão fiscal, investimento e passes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião