Abanca vai ficar com 334 trabalhadores do Deutsche Bank Portugal

Espanhóis anunciaram há um ano a compra do negócio de retalho dos alemães em Portugal. Operação deverá ficar concluída no dia 9 de junho e prevê a integração de 334 trabalhadores no Abanca.

O Abanca vai ficar com mais de três centenas trabalhadores do Deutsche Bank Portugal, isto na sequência da aquisição do negócio de retalho ao banco alemão e que foi anunciada há um ano. Não vai haver despedimentos dado que não haverá sobreposição de funções. Todo o processo de aquisição e integração deverá ficar fechado no próximo dia 9 de junho.

Atualmente, a operação do Abanca em Portugal é reduzida: conta com 49 funcionários e quatro balcões. Mas, com a compra do Deutsche Bank Portugal, acordada em março de 2018 mas ainda por fechar, os espanhóis vão reforçar a sua presença no mercado nacional: 334 trabalhadores e 41 centros (na sua maioria no Porto e em Lisboa) vão passar para o banco espanhol, de acordo com as informações transmitidas pelos espanhóis aos sindicatos portugueses.

Por outro lado, na sucursal portuguesa do Deutsche Bank vão continuar a trabalhar 40 funcionários, com um negócio sobretudo vocacionado para a banca corporativa.

Estas informações foram transmitidas pelo Abanca durante uma reunião com vários sindicatos da banca que teve lugar esta manhã: o Sindicato Nacional dos Quadros Técnicos Bancários (SNQTB), Sindicato dos Bancários do Norte (SBN) e o Sindicato Independente da Banca (SIB).

“O Abanca comunicou-nos a intenção de conjugar os direitos e benefícios vigentes nas duas instituições, de forma a que os trabalhadores possam usufruir transversalmente das vantagens existentes em ambas”, disse Paulo Gonçalves Marcos, presidente do SNQTB, em comunicado.

“Em resultado desta integração, os trabalhadores do Deutsche Bank serão abrangidos pelo Acordo Coletivo de Trabalho do setor bancário (que este não subscreveria) nos termos outorgados pelo Abanca”, acrescentou ainda o responsável.

"O Abanca comunicou-nos a intenção de conjugar os direitos e benefícios vigentes nas duas instituições, de forma a que os trabalhadores possam usufruir transversalmente das vantagens existentes em ambas.”

Paulo Gonçalves Marcos

Presidente do SNQTB

No comunicado conjunto divulgado esta segunda-feira, os sindicatos referem ainda que “além dos direitos e benefícios laborais previstos nesse Acordo Coletivo, os trabalhadores do Deutsche Bank terão acesso ao SAMS”, com o Abanca a suportar “as contribuições para o SAMS a cargo do empregar e do trabalhador”.

Foi em março do ano passado que o Abanca foi anunciado como comprador da unidade de banca de particulares do Deutsche Bank em Portugal. O valor da transação não foi divulgada. Aquando do anúncio do negócio, o Deutsche Bank Portugal contava com uma carteira de crédito de 2.400 milhões de euros, 1.000 milhões em depósitos e 3.100 milhões de euros de ativos sob gestão.

Já depois da aquisição do Deutsche Bank Portugal, o Abanca comprou a unidade espanhola da Caixa Geral de Depósitos por 368 milhões de euros. A operação aguarda a autorização dos reguladores.

O banco espanhol registou lucros recorde de 430 milhões de euros no ano passado.

Comentários ({{ total }})

Abanca vai ficar com 334 trabalhadores do Deutsche Bank Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião