Quer aprender a gerir o stress no trabalho? Esta formação trabalha a resiliência

  • Ricardo Vieira
  • 7 Maio 2019

Em junho e novembro, há uma formação que dá a conhecer estratégias para controlar o stress laboral e a desenvolver a resiliência.

Aprender a controlar o nível de stress no trabalho e saber gerir conflitos estão entre os objetivos principais da formação em “resiliência”, promovida pela IFE by Always.

Nesta formação, além de serem apresentadas estratégias individuais para lidar com as situações mais críticas, serão dadas aos participantes as ferramentas para determinaram as causas de stress.

Reconhecer situações de stress no trabalho e saber como isso afeta o rendimento laboral, diferenciar tensão e stress mas também o papel do líder como facilitador para canalizar e superar as situações que geram stress, são assuntos que fazem parte do programa formativo. Afinal, o burnout dos colaboradores está entre as principais preocupações das empresas.

Através de um autodiagnóstico, todos os participantes vão determinar o seu nível de resiliência e, a partir daí, perceber que práticas são para manter, alterar e adotar. No mesmo curso, vão ser abordadas as várias dimensões da resiliência e como podem ser otimizadas. Autocontrolo das emoções, otimismo, análise do ambiente, empatia, autoconfiança, leitura corporal, capacidade de relacionamento, autoconfiança são temas que também vão ser abordados.

A formação, com a duração de sete horas, tem inscrições abertas para duas datas em Lisboa: 19 de junho e 26 de novembro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quer aprender a gerir o stress no trabalho? Esta formação trabalha a resiliência

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião