TAP alerta que será um “verão difícil” no aeroporto de Lisboa

  • Fátima Castro
  • 22 Maio 2019

“O verão vai ser difícil para todas as companhias aéreas que operem no aeroporto de Lisboa”, avisa Miguel Frasquilho, presidente do conselho de administração da TAP.

“O verão vai ser difícil”. Miguel Frasquilho não tem dúvidas que será um verão complicado para todas as companhias aéreas que operam no aeroporto de Lisboa. Ainda assim, o presidente do conselho de administração da TAP, acredita que a empresa será capaz de superar as adversidades, antecipando resultados que serão, este ano, “desejavelmente positivos”.

O aeroporto Humberto Delgado “está bastante congestionado”, diz Frasquilho, reiterando as críticas que tem vindo, de tempos a tempos, a fazer à infraestrutura da capital portuguesa. Uma crítica comum a várias outras companhias aéreas que utilizam o aeroporto de Lisboa.

“As obras que vão permitir melhorar a eficiência do aeroporto só terão lugar a partir de outubro”, alerta o presidente do conselho de administração da TAP.

Congestionamentos à parte, Miguel Frasquilho prevê um ano bastante melhor para a TAP em comparação a 2018, em que registou prejuízos que ultrapassam os 100 milhões de euros. O chairman da transportadora aérea admite que o ano passado foi um ano particularmente difícil evidenciando que “todas as companhias áreas tem vindo a avisar que a atividade está bastante complicada e a TAP não foge à regra”.

Consciente que o primeiro trimestre do ano foi difícil, o presidente do conselho de administração antecipa que as “perspetivas para o conjunto do ano são positivas”. “Esperamos fechar 2019 bastante melhor que em 2018, com um resultado desejavelmente positivo”, frisa Miguel Frasquilho.

Quando questionado sobre o custo dos combustíveis o chairman da companhia aérea evidencia que este ano a TAP está bastante mais precavida devido à nova política hedging estabelecida em 2018. Miguel Frasquilho acredita que com este acordo “a TAP não irá certamente ter os sobressaltos que teve em 2018″.

Mais rotas para os EUA

Miguel Frasquilho, à margem do debate “O turismo como fator de desenvolvimento económico – O contributo da TAP”, que ocorreu esta quarta-feira, na AEP (Associação Empresarial do Porto), aproveitou para sublinhar o entusiasmo da companhia aérea em aumentar as rotas para o mercado norte-americano.

“Estamos muito animados com o mercado americano que tem vindo a contrabalançar alguma fraqueza sentida no mercado brasileiro. Mas, mesmo neste mercado perspetivamos que a trajetória de subida possa ser sentida”, diz.

A rota para Chicago arranca já no dia 1 de junho. Passados nove dias será São Francisco o próximo destino da TAP e no dia 16 junho a companhia aérea começa a sobrevoar os céus de Washington DC. Miguel Frasquilho conta estar presente em todos os voos inaugurais.

Comentários ({{ total }})

TAP alerta que será um “verão difícil” no aeroporto de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião