Galp recua mais de 1% e atira Lisboa para terreno negativo

Os títulos da Galp Energia recuaram 1,6%, na segunda sessão da semana e atiraram Lisboa para terreno negativo. O desempenho da praça nacional ficou em linha com o europeu.

Em linha com as demais praças do Velho Continente, Lisboa terminou a sessão desta terça-feira no vermelho. Depois de um início de semana animado pelos resultados nas Eleições Europeias, a praça nacional ficou em terreno negativo, pressionada sobretudo pelos títulos da Galp e da Sonae.

O índice de referência nacional, o PSI-20, desvalorizou 0,67% para 5.106,69 pontos, seguindo a tendência registada nas restantes praças europeias. O Stoxx 600 recuou 0,2%, o alemão DAX 0,4%, o francês CAC 0,5% e o espanhol IBEX 0,3%.

A pressionar a praça lisboeta, estiveram sobretudo os títulos da Galp Energia, que desvalorizaram 1,63% para 13,86 euros. Os investidores estão expectantes quanto ao próximo passo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e outras nações aliadas, que têm encontro marcado para o próximo mês. Enquanto isso, o preço do ouro negro tem sido influenciado pelos dados que têm sido divulgados da produção.

Também no setor da energia e igualmente em terreno negativo, as ações da EDP recuaram 0,42% para 3,357 euros e as da EDP Renováveis caíram 0,79% para 8,74 euros.

Destaque ainda para os títulos da Sonae, que recuaram 2,6% para 0,8905 euros, no dia em que descontam o dividendo de 4,41 cêntimos que será pago aos acionistas. Também no retalho, as ações da Jerónimo Martins caíram 0,96% para 13,89 euros. E os títulos da Navigator recuaram 1,49% para 3,308 euros, pesando sobre Lisboa.

Do outro lado da linha, ficaram as ações do BCP — que somaram 0,16% para 0,2572 euros — e dos CTT — que avançaram 0,78% para 2,316 euros.

Comentários ({{ total }})

Galp recua mais de 1% e atira Lisboa para terreno negativo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião