Aumento salarial em Portugal continua a revelar desigualdade de género

  • Ricardo Vieira
  • 6 Junho 2019

A desigualdade de géneros mantém-se presente na análise da Seresco, que registou aumentos médios superiores para os homens do que para as mulheres.

Portugal está entre países europeus que menos aumentaram salário mínimo, mas a consultora Seresco analisou os rendimentos do primeiro trimestre do ano e verificou um aumento médio acima dos 100 euros.

De acordo com a empresa, a média de salários continua a revelar uma notória diferença de aumentos entre homens e mulheres. Nos primeiros três meses do ano o vencimento dos homens subiu em média 138,45 euros, enquanto nas mulheres o aumento rondou os 93,38 euros.

Rita Mourinha, responsável da área comercial salienta que o “mercado tem sofrido algumas alterações a nível de valores médios pagos, quer a homens quer a mulheres, mas é sem dúvida salutar verificarmos que do primeiro trimestre do ano de 2019, o aumento médio foi acima dos 100€, que é já um valor significativo de aumento, face ao que acontecia no passado. Portugal está a percorrer assim, na nossa perspetiva, um caminho interessante, para se manter competitivo e acima de tudo capaz de reter talento.”

Os maiores aumentos salariais verificaram-se em funções de direção e de coordenação, no caso dos homens, enquanto nas mulheres os maiores aumentos salariais registaram-se nas que trabalham em funções de vendas e customer relations.

Comentários ({{ total }})

Aumento salarial em Portugal continua a revelar desigualdade de género

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião