Garrigues nomeia 16 novos sócios e um é português

A sociedade de advogados Garrigues nomeou 12 novos sócios em Espanha, um em Portugal e três na América Latina. Miguel Menezes da Silva é o novo sócio da área de imobiliário.

A sociedade de advogados Garrigues nomeou 16 novos sócios. Destes, 12 exercem a sua atividade profissional em Espanha, um em Portugal, e três na América latina. Das novas nomeações destaca-se a do advogado português, Miguel Menezes da Silva.

O novo sócio português centra a sua atividade profissional na área do direito imobiliário e conta com uma vasta experiência em transações de M&A no setor imobiliário, prestando assessoria a investidores globais. A área de direito imobiliário em Portugal, liderada por Jorge Gonçalves, passa assim a contar com dois sócios, “reforçando a sua estrutura, para continuar a acompanhar o grande crescimento que o negócio tem sentido nos últimos anos”, nota a sociedade.

Nos escritórios internacionais da Garrigues, foram ainda nomeados sócios em Bogotá (Colômbia), Santiago (Chile) e Lima (Peru). Dos 12 sócios nomeados em Espanha, cinco pertencem ao escritório de Madrid, três ao de Barcelona, com Bilbao, San Sebastián, las Palmas de Gran Canaria e Alicante a terem um novo sócio cada.

“A assembleia de sócios da Garrigues reviu os desafios que o escritório enfrenta no atual contexto, como a atração de talento jovem e a exigência de se antecipar às novas necessidades dos clientes. Também se debruçou sobre o caminho percorrido pela transformação digital do escritório, e o modo como este se foi adaptando (frequentemente, antecipando-se) às tendências do mercado”, nota a sociedade.

A nomeação dos novos sócios de quota foi aprovada em assembleia de sócios da Garrigues. A sociedade conta agora com 313 sócios.

Veja a lista completa dos novos sócios:

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Garrigues nomeia 16 novos sócios e um é português

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião