Há mais passageiros de comboio, metro e avião. Mas crescimento está a abrandar

  • Joana Morais Fonseca
  • 8 Novembro 2019

Apesar de haver um aumento no número de passageiros a ser transportados, há uma desaceleração nos três modos. Destaque para o transporte aéreo que transportou 56,3 milhões de pessoas em 2018.

Há mais passageiros a serem transportados por comboio, metro, mas especialmente por avião, onde foram batidos novos recordes. No entanto, o Instituto Nacional de Estatística (INE) alerta que se verifica uma desaceleração nos três meios de transporte quando comparado com os anos anteriores.

O movimento de passageiros nos aeroportos e aeródromos nacionais ascendeu a 56,3 milhões no ano passado, uma subida de 6,8% face a 2017, segundos dados do INE. Comparativamente com 2017, quando o aumento foi de 16,5% no número de passageiros transportados, verificou-se uma desaceleração do tráfego aéreo nos principais aeroportos nacionais.

Nos principais aeroportos portugueses, o aeroporto Humberto Delgado continua a ser o que tem o maior fluxo com 29.046 milhões de pessoas a passarem por Lisboa, representando uma subida de 7,1%. Seguido do aeroporto Sá Carneiro, no Porto, com uma afluência de 11.942 milhões passageiros (um aumento de 10,7%).

Por outro lado, apesar de o aeroporto de Faro ser o terceiro mais frequentado a nível nacional, verifica-se uma descida de 0,5% no número de passageiros transportados para 8,687 milhões, face aos 8,729 transportados no ano anterior. Destaque ainda para o aeroporto do Funchal com uma quebra de 0,7% para 3.0182 milhões.

Relativamente aos comboios, o número de passageiros transportados pela ferrovia voltou a aumentar em 2018. Foram transportadas 147,4 milhões de pessoas, representando uma subida de 3,9% face a 2017. Verifica-se ainda uma desaceleração, já que em 2017 o aumento foi de 6%. No que toca ao metropolitano, pelas três redes de metro — Lisboa, Porto, Almada –, passaram 244,1 milhões de passageiros. O maior aumento verifica-se no metropolitano de Lisboa, que transportou 169,2 milhões de pessoas, mantendo a tendência de crescimento dos últimos três anos (mais 4,7% em 2018, um aumento de 5,4% em 2017 e um avanço de 7,3% em 2016).

No que toca ao transporte fluvial, aumentou o transporte de passageiros, contudo, houve uma quebra de viaturas. Em 2018 foram transportados 21,4 milhões de passageiros (mais 3,4%), através de 354,6 mil barcos, uma quebra de 2,4%.

Já no transporte rodoviário foram transportados 541,9 milhões de passageiros, o que, segundo as contas do gabinete de estatísticas, representa um aumento de 5,5% face ao ano anterior. Verifica-se ainda um aumento da oferta para 29,4 mil milhões de lugares por quilómetro, a maioria em transporte regular (83,1%). Já no que toca à procura, foi “menos acentuada” para cerca e 7,1 mil milhões de passageiros por quilómetro, um aumento de 6,9% face ao ano anterior.

Comentários ({{ total }})

Há mais passageiros de comboio, metro e avião. Mas crescimento está a abrandar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião