Bee Engineering quer recrutar 100 pessoas em 2020

A consultora de tecnologias de informação e comunicação quer reforçar a equipa para responder aos desafios da transformação digital. Para já, o objetivo é recrutar 20 recém-licenciados até junho.

A Bee Engineering, startup especializada em consultoria de tecnologias da informação e comunicação, quer recrutar 100 pessoas durante este ano. Para atrair e reter talento, a empresa vai pôr em prática o programa 360º e reforçar a presença nas universidades e a relação com as empresas tecnológicas, como a Academia de Código, a Ironhack ou a Recodme, apostando na formação de competências.

À Pessoas, a startup refere que o recrutamento este ano poderá ultrapassar as 100 pessoas mas que, para já, o objetivo é conseguir recrutar pelo menos 20 recém-licenciados no primeiro semestre do ano.

“A capacitação de competências na área das tecnologias de informação no mercado nacional apenas é possível de atingir conjugando diversas estratégias que trazem à empresa a capacidade de reforçar os seus quadros nos diversos graus de senioridade e âmbitos tecnológicos. Esta abrangência garante a solidez necessária para a criação de emprego e formação continuada dos nossos quadros, dando seguimento ao excelente ensino que é feito nas faculdades portuguesas”, sublinha José Leal e Silva, diretor executivo da Bee Engineering.

Este ano, a Bee Engineering pretende alargar as ações do programa 360º, com mais academias internas de ativação de talento e com projetos de requalificação profissional através da Recodme, e mais projetos com os alunos do ensino secundário ou profissional e universitário. A startup tem apostado em estágios e parcerias com a Academia de Código e a Ironhack, no programa Bee Tech, nas universidades, ou o Bee Ambassadors.

A equipa de recursos humanos designada Bee Together.

Apesar do anúncio da startup, encontram-se vagas abertas no site oficial, para várias áreas de gaming, development, javaarchitect, web e UI development.

No ano passado, a Bee Engineering entrou no mercado dos videojogos e lançou a plataforma Bee Brave, uma solução desenvolvida pela Nectar Interactive para ajudar os jogadores a atingir objetivos e a chegar mais longe, e que pode ser utilizada pelas empresas como acelerador de crescimento e monitorização de objetivos dos trabalhadores, clientes e parceiros de negócio.

A Bee Engineering é uma das marcas do grupo internacional HIQ Consulting, e chegou a Portugal em 2013. Os serviços de consultoria, investigação e desenvolvimento, jogos e formação, concentram-se nos escritórios de Lisboa, Porto e Amesterdão e empregam 180 profissionais.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bee Engineering quer recrutar 100 pessoas em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião