Abreu Advogados assessora venda da PT Ventures pela Africatel à Sonangol

A Africatel concluiu a venda da totalidade da PT Ventures à Sonangol, numa transação no valor de mil milhões de dólares, assessorada pela equipa da Abreu Advogados.

A sociedade Abreu Advogados assessorou juridicamente o processo de venda da totalidade do capital social da PT Ventures, pela Africatel Holdings BV, holding da Holanda controlada pela brasileira OI, à angolana Sonangol. A transação envolveu o valor de mil milhões de dólares.

A venda, concluída no final de janeiro, foi coordenada por Guilherme Santos Silva, sócio da Abreu Advogados, que trabalhou em colaboração com os sócios Miguel Teixeira de Abreu e Paulo de Tarso Domingues, os sócios contratados Pedro Alves da Silva, Marta Romano de Castro e Rodrigo Formigal, e ainda os associados Mariana Duarte e António Frusoni Gonçalves, tendo abrangido diferentes áreas de prática do escritório, entre as quais M&A, arbitragem, contencioso, societário, fiscal, bancário e financeiro.

“Esta operação foi de grande complexidade, tendo envolvido diferentes países, requerendo a coordenação entre a Abreu Advogados e diversos escritórios de advogados de várias jurisdições. A transação, de tamanho e valor significativos, é considerada uma das maiores operações de M&A envolvendo uma empresa portuguesa, iniciada e concluída entre 2019 e 2020″, nota a sociedade em comunicado.

A PT Ventures é uma sociedade portuguesa que detém vários ativos, incluindo participações em duas sociedades angolanas (Unitel 25 %) e Multitel (40%), direitos de crédito emergentes de dividendos deliberados distribuir pela Unitel, já vencidos e não pagos, assim como um conjunto de direitos resultantes da sentença arbitral proferida na arbitragem ICC (Paris), que opôs a PT Ventures aos demais acionistas da Unitel.

A equipa da Abreu tem vindo a assistir a PT Ventures desde 2013 no que respeita à sua participação social na Angolana Unitel, aconselhando-a em coordenação com outras sociedades de advogados de diferentes jurisdições, incluindo de Angola, França, Reino Unido, Ilhas Virgens Britânicas e Holanda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Abreu Advogados assessora venda da PT Ventures pela Africatel à Sonangol

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião