OutSystems lança projetos com Governo e universidades. Investimento vale 5,1 milhões

Unicórnio líder mundial em plataformas low-code tem projetos com a FCT Nova, INESC-ID e universidade do Minho, num programa cofinanciado pelo Governo e pela Carnegie Mellon Portugal.

O unicórnio OutSystems vai lançar, em parceria com o Governo e com o programa Carnegie Mellon Portugal — e através de fundos europeus do Portugal 2020 — dois projetos de pesquisa e desenvolvimento, anunciou a empresa em comunicado. Os planos implicam um investimento de 5,1 milhões de euros, feito em regime de cofinanciamento entre as entidades promotoras.

Os projetos DEV4ALL (pretende construir uma sociedade de programadores) e GOLEM (programação automatizada para revolucionar o desenvolvimento de aplicações) são desenvolvidos em parceria com as universidades nacionais FCT NOVA através do NOVA LINCS, Universidade do Minho, INESC-ID, INESC TEC e a universidade internacional Carnegie Mellon. Como objetivo essencial, os programas pretendem acelerar a inovação no setor de desenvolvimento de low-code — área de especialização da OutSystems — e tornar o desenvolvimento de aplicações mais acessível a pessoas não especializadas.

“Estes dois projetos mostram bem como a OutSystems continua a olhar para o futuro, liderando iniciativas que vão revolucionar o mercado de desenvolvimento de aplicações”, afirma João Abril de Abreu, innovation and university relations manager da OutSystems. “Ambos os projetos refletem o trabalho que a Outsystems tem vindo a desenvolver para colaborar com algumas universidades e institutos estrategicamente selecionados e assim aumentar a capacidade da empresa em fazer investigação de alta qualidade”, conclui o mesmo responsável, citado em comunicado.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

OutSystems lança projetos com Governo e universidades. Investimento vale 5,1 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião