Fundo soberano da Noruega ganhou 180 mil milhões com aposta nas ações

O maior fundo soberano do mundo registou em 2019 o segundo melhor desempenho de sempre. Norges Bank obteve retorno de 20%, impulsionado pelo investimento em ações.

O fundo soberano da Noruega ganhou 180 mil milhões de dólares (165 mil milhões de euros) no ano passado, depois de ter registado o segundo melhor desempenho na sua história. O Norges Bank obteve um retorno de 20% dos seus investimentos nos mercados. Boom nas ações impulsionou resultados.

O investimento no mercado acionista observou um retorno de 26%, enquanto as obrigações deram a ganhar 8% e a aposta no imobiliário rendeu 7%. Tudo somado, o maior fundo soberano do mundo, que é alimentado pelas receitas da Noruega com o petróleo e gás, obteve o maior resultado de sempre em coroas norueguesas: 1,7 biliões (1,1 biliões de dólares).

“2019 foi um grande ano na história do fundo, à boleia do retorno positivo das ações em todos os principais mercados do fundo e em todos os setores”, referiu Yngve Slyngstad, CEO do Norges Bank, que anunciou no final do ano passado a sua resignação do cargo, dias depois de o fundo ter atingido os 10 biliões de coroas norueguesas. Trond Grand, vice-presidente, é o principal candidato a substituí-lo.

Os ativos do fundo estão agora avaliados em 11 biliões de coroas norueguesas, sendo que 70,8% está investido em ações, 2,7% no mercado imobiliário e 26,5% em dívida pública. O fundo detém ações de mais de 9.000 companhias em todo o mundo, incluindo em Portugal (por exemplo, Galp, EDP, Navigator, EDP, CTT, entre outras cotadas nacionais), possuindo 1,5% de todas as ações que estão em bolsa no mundo.

De acordo com o Norges Bank, face ao desempenho registado o ano passado, isto significa que cada habitante da Noruega (são 5,3 milhões) ganhou 34 mil euros, com o património do fundo a corresponder a 207 mil dólares por cada norueguês e a três vezes o Produto Interno Bruto do país nórdico.

Apple e Microsoft foram os principais contribuintes para os retornos do Norges Bank, seguido da Nestlé, enquanto a Nokia, Pfizer e Swedbank tiveram os piores desempenhos, segundo adiantou o fundo.

O melhor desempenho de sempre do Norges Bank aconteceu em 2009, quando registou um retorno de 26%.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fundo soberano da Noruega ganhou 180 mil milhões com aposta nas ações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião