Água de Monchique aumenta salário em 10% para premiar “altruísmo” dos trabalhadores

Para agradecer o empenho daqueles que trabalham num setor de bens essenciais de abastecimento, a Sociedade Água de Monchique vai reforçar em 10%, o salário dos 40 trabalhadores da empresa.

A sociedade da Água de Monchique decidiu reforçar em 10% o salário de todos os 40 trabalhadores da empresa, para premiar a “coragem e o altruísmo” demonstrados. Numa nota enviada à imprensa, o CEO da empresa, Vítor Hugo Gonçalves, destacou a responsabilidade dos trabalhadores num setor de abastecimento de bens essenciais, essenciais em altura de crise e instabilidade provocados pelo aumento da propagação do novo coronavírus.

“Como empresa que integra o setor alimentar, temos uma responsabilidade acrescida na medida em que a sociedade precisa de nós para se abastecer, e a água é obviamente um recurso mineral importante. Temos de responder positivamente a este desafio enquanto pudermos e enquanto tivermos força para o fazer. Esta medida visa reconhecer o esforço e o empenho dos nossos colaboradores numa altura difícil e de grande instabilidade”, refere Vítor Hugo Gonçalves.

 

Vítor Hugo Gonçalves deixou uma palavra de apreço e de agradecimento a todos os colaboradores da indústria alimentar – em especial funcionários dos supermercados e das transportadoras — que, nesta altura de crise, desempenham um papel fundamental no abastecimento de bens essenciais ao país. “Sabemos que nunca será suficiente para remunerar a vossa coragem e ajuda, mas é mais do que merecido”, sublinhou o CEO, na mensagem enviada aos colaboradores.

A Direção Geral de Saúde (DGS) confirmou esta terça-feira a existência de 117 novos casos de infeção pelo novo coronavírus em Portugal. O número total de doentes sobe assim de 331 para 448.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Água de Monchique aumenta salário em 10% para premiar “altruísmo” dos trabalhadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião